Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 06 de junho de 2016. Atualizado às 18h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

06/06/2016 - 18h25min. Alterada em 06/06 às 18h25min

Bolsas sobem em Nova Iorque com petróleo e perspectiva menor de alta de juros

As bolsas de Nova Iorque fecharam em alta nesta segunda-feira (6), beneficiadas por um avanço do petróleo, que impulsionou o setor de energia e o sentimento geral de busca por risco. Os ganhos foram ampliados à tarde, após a presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Janet Yellen, soar mais cautelosa do que em suas últimas aparições e diminuir as chances de uma elevação dos juros nos próximos meses após o fraco relatório de emprego (payroll) de maio.
No final do dia, o índice Dow Jones fechou em alta de 0,64%, aos 17.920,33 pontos, o S&P 500 avançou 0,49%, aos 2.109,41 pontos, e o Nasdaq ganhou 0,53%, aos 4.968,71 pontos. O S&P 500 fechou no maior patamar de 2016.
Em discurso proferido hoje, Yellen admitiu que o payroll de maio foi "desapontador". Ela reiterou esperar que os juro nos EUA irão subir gradualmente. A dirigente, no entanto, retirou as menções a uma possível alta nos próximos meses, o que beneficia as ações.
Apesar da cautela, a presidente do Fed salientou os ganhos nos empregos, nas rendas das famílias e na confiança do consumidor como reflexo de uma economia doméstica saudável. Outra advertência dada foi a de não colocar muito peso em apenas um indicador econômico.
Para muitos investidores, o fato é que há poucas alternativas realmente atraentes em um mundo marcado por baixos juros, mesmo que os preços das ações estejam bastante altos após anos de valorização.
"Por que não ações?", questiona Ben Pace, diretor de investimento da HPM Partners.
Os ganhos foram liderados pela ações de energia, que se beneficiaram de uma alta do petróleo na sessão. Os papéis da Exxon Mobil fecharam com alta de 1,10%, enquanto a Chevron ganhou 0,51%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia