Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de maio de 2016. Atualizado às 19h50.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

crise política

10/05/2016 - 19h47min. Alterada em 10/05 às 19h50min

Presidente da CUT-RS diz que grupos pró-Dilma preparam nova mobilização

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Rio Grande do Sul, Claudir Nespolo, afirmou que os movimentos ligados à Frente Brasil Popular, que convocou os protestos desta terça-feira (10), em defesa do governo da presidente Dilma Rousseff, estão satisfeitos com o resultado dos atos, mas não são "ingênuos" de pensar que a mobilização será capaz de impedir o prosseguimento do processo de impeachment neste momento. "Hoje foi importante, mas não temos ilusão de que isso vai mudar votos (agora) no Senado. Estamos nos preparando para um longo período de resistência da democracia", disse ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.
Ele contou que os grupos pró-Dilma estão planejando para 10 de junho um novo Dia Nacional de Paralisações e Mobilização, nos mesmos moldes de hoje. A data foi escolhida para protestar pelo primeiro mês do eventual governo de Michel Temer. "Em junho esperamos envolver ainda mais a classe trabalhadora, que já estará entendendo e sentindo melhor a pauta, a necessidade de lutar pela manutenção dos nossos direitos", relatou. "Esperamos mais greve nas fábricas, por exemplo."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia