Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de maio de 2016. Atualizado às 19h50.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

senado

04/05/2016 - 19h50min. Alterada em 04/05 às 19h50min

Anastasia conclui leitura de relatório na comissão de impeachment

Reprodução/JC

O relatório foi lido sem intervenções por parte dos demais senadores


Reprodução/JC
O relator do processo de impeachment no Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG), concluiu a leitura de seu parecer após cerca de três horas. Ele votou pela admissibilidade da denúncia, com a consequente instauração do processo de impeachment, a abertura de prazo para Dilma responder à acusação e o início da fase instrutória.
O início de leitura foi antecedido por um pequeno bate-boca no plenário, entre oposição e base do governo. Ao começar a ler o texto de 126 páginas, o senador pediu para que os microfones do plenário fossem desligados. Ainda assim, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) falou, alto, que "há um jogo de cartas marcadas" no Senado.
O relatório foi lido sem intervenções por parte dos demais senadores. Na conclusão do texto, Anastasia considerou que há "indícios suficientes de autoria e materialidade" de "fatos criminosos". "Há plausibilidade na denúncia e atendimento aos pressupostos formais, restando, portanto, atendidos os requisitos exigidos pela lei para que a denunciada responda ao processo de impeachment com base na tipificação submetida e admitida pela Câmara dos Deputados", escreveu.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia