Porto Alegre, terça-feira, 03 de maio de 2016. Atualizado às 21h05.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
15°C
21°C
11°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5680 3,5700 2,26%
Turismo/SP 3,4500 3,7100 2,20%
Paralelo/SP 3,4500 3,7100 2,20%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Governo Federal 03/05/2016 - 21h05min. Alterada em 03/05 às 21h05min

Paulo Skaf critica possibilidade de desmonte do Ministério do Desenvolvimento

Em reunião realizada nesta terça-feira (3) com o vice-presidente Michel Temer, o presidente Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Paulo Skaf, criticou a possibilidade de o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio ser desmembrado em eventual governo Temer.
Nas conversas realizadas nos últimos dias entre Temer e aliados, um dos desenhos traçados para acomodar o senador José Serra (PSDB-SP) é o de o tucano assumir a pasta de Relações Exteriores. Serra ficaria também com as atribuições de comércio exterior, atualmente concentradas no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.
"A proposta que deixei ao presidente é o fortalecimento do ministério da produção e não o desmonte", ressaltou Skaf na saída do encontro. "O problema do Brasil é recuperar a produção brasileira, recuperar emprego, fortalecer e buscar a retomada do crescimento através da produção, do emprego, do trabalho. A última coisa que se possa pensar é enfraquecimento e muito menos a eliminação do ministério que representa a produção", acrescentou o dirigente.
Skaf negou que possa integrar o novo governo Temer, previsto para ser iniciado após possível aprovação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, na comissão especial do Senado.
O dirigente também voltou a se posicionar contra qualquer possibilidade de se aumentar a arrecadação com a criação de novos impostos. Uma das alternativas apontadas por ele como forma de se ter novas receitas é a aprovação do projeto no Congresso que trata de repatriamento de recursos no exterior. "Fizemos um estudo que é possível sim se ajustar o orçamento no sentido de reduzir gastos, não trabalhar com aumento de impostos e a diferença que possa faltar pode ser suprida pelo repatriamento de recursos", defendeu.
Questionado sobre a posição de Temer em não propor novos impostos, Skaf respondeu: "Ele reconhece que da forma que está a economia, da forma que estão as empresas, da forma que o cenário real se apresenta, não é momento de se pensar em aumento de impostos e por outro lado há necessidade de um ajuste".
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Fiesp entrega propostas a Temer para recuperar economia sem aumentar impostos
Paulo Skaf disse que o Brasil não aguenta mais elevação de impostos e que qualquer tentativa de recriação da CPMF terá oposição do setor industrial
Temer espera nome do PP ou 'notável' apadrinhado para Ministério da Agricultura
O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), aguarda a indicação de um nome do PP para o Ministério da Agricultura
Governo vai reformular Sine para fazer repasses diretos a Estados e municípios
Atualmente, o repasse se dá por meio de convênios, que precisam ser renovados periodicamente
STF suspende liberação de crédito extraordinário para publicidade do governo
A liminar de Gilmar Mendes atende a uma ação direta de inconstitucionalidade apresentada pelo Solidariedade

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo