Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de maio de 2016. Atualizado às 22h40.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 10/05/2016. Alterada em 09/05 às 19h47min

Falando de Inovação

Maria Fernanda Bermudez
No dia em que Porto Alegre foi literalmente sacudida por um dos maiores temporais de sua história, eu estava em São Paulo, representando a prefeitura da Capital num painel na Campus Party, sobre como as chamadas cidades inteligentes podem prestar melhores serviços aos seus cidadãos através da Tecnologia de Informação. Tentava explicar aos geeks presentes e à imprensa especializada a importância e a abrangência dos conceitos sobre as "smart cities" e como Porto Alegre tinha chegado ao grupo das 10 cidades brasileiras consideradas mais inteligentes. Se o painel tivesse acontecido após o temporal, certamente teríamos mais dados para explicar aos presentes como uma cidade inteligente age na prática frente à adversidade extrema. A importância do Centro Integrado de Comando da Cidade de Porto Alegre (Ceic), na bem-sucedida mobilização coordenada pela prefeitura, é apenas um dos exemplos positivos da aplicabilidade da tecnologia em benefício do cidadão e que só pode ser devidamente mensurada se imaginássemos, por exemplo, a cidade sem essa ferramenta em meio aqueles acontecimentos. Certamente, a cidade demoraria muito mais para voltar a funcionar, com prejuízos ainda maiores para todos. O uso dessa inovação, além de outros importantes instrumentos que a cidade possui dentro do perfil de "smart cities", segue uma tendência mundial que objetiva tornar essas cidades não apenas inteligentes, mas inteligentes e humanas, ou seja, que utilizam a tecnologia e a participação de comunidades organizadas para melhorar os serviços prestados à população. Para tratar deste assunto de relevância para o futuro da cidade, o Gabinete de Inovação e Tecnologia da Prefeitura (Inovapoa) realizará, nesta quinta-feira, 12, o I Encontro "Falando de Inovação". Será na Câmara Municipal de Porto Alegre, na Casa do Povo, certamente o maior beneficiado pelo tema, que trata da Capital que está sendo desenhada para os próximos anos. Esperamos vocês.
Secretária de Inovação e Tecnologia de Porto Alegre
 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia