Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de maio de 2016. Atualizado às 00h36.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

handebol

Notícia da edição impressa de 25/05/2016. Alterada em 25/05 às 00h35min

Soubak minimiza estreia contra bicampeãs olímpicas

De todos os adversários possíveis para a estreia da seleção brasileira feminina de handebol, nenhum poderia ser mais complicado do que a Noruega. E é exatamente o time escandinavo, atual bicampeão olímpico, o primeiro rival do Brasil nos Jogos Rio/2016. Logo em seguida, a seleção pega a Romênia, sua algoz no Mundial de dezembro do ano passado.
O técnico Morten Soubak, entretanto, diz não temer a tabela. "Temos que nos preparar para todos os jogos, então, não faz muita diferença enfrentar a Noruega e a Romênia logo no início", comentou ele. Por ser o dono da casa, o Brasil teve um peculiar privilégio no sorteio dos grupos: escolher em qual gostaria de entrar. Pelo formato definido pela Federação Internacional de Handebol, os grupos foram formados com cinco equipes e Soubak, na sequência, escolheria em qual o Brasil ficaria. E ele optou exatamente pelo que agora é chamado de "Grupo da Morte", que também tem Espanha e Montenegro, medalhistas em Londres/2012.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia