Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de maio de 2016. Atualizado às 19h23.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

liga europa

18/05/2016 - 19h24min. Alterada em 18/05 às 19h24min

Sevilla bate Liverpool de virada e se sagra tricampeão da Liga Europa

O goleiro David Soria (d) ergue o troféu e comemora título com companheiros de equipe

O goleiro David Soria (d) ergue o troféu e comemora título com companheiros de equipe


MICHAEL BUHOLZER/AFP/JC
O Sevilla mostrou nesta quarta-feira porque é o rei da Liga Europa. Em um duro jogo contra o Liverpool, saiu atrás no placar após um sofrível primeiro tempo, mas buscou a virada de forma fulminante na segunda etapa e venceu por 3 a 1, na Basileia, para se sagrar tricampeão da competição europeia. Tornou-se o primeiro time a vencer três vezes seguidas o torneio, abaixo apenas da Liga dos Campeões na Europa.
Gameiro e Coke foram os grandes destaques do time espanhol, ofuscando os brasileiros Philippe Coutinho e Roberto Firmino, titulares da equipe inglesa. O triunfo garantiu o Sevilla novamente na fase de grupos da próxima edição da Liga dos Campeões. Por outro lado, deixou o Liverpool sem vaga nas competições europeias da temporada 2016/2017,
Com o troféu, o time espanhol ampliou seu domínio na Liga Europa. Agora soma cinco títulos, três em sequência na competição já com o atual nome. E dois conquistados quando o torneio ainda era chamado de Copa da Uefa. A série vitoriosa do técnico Unai Emery à frente do Sevilla pode ter mais um capítulo feliz no domingo, na final da Copa do Rei. Para tanto, terá que desbancar o favorito Barcelona.
Se os espanhóis voltam a festejar na competição europeia, os ingleses amargam o vice-campeonato pela segunda vez na temporada. Na primeira final do técnico Jürgen Klopp, o Liverpool perdeu par ao Manchester City na final da Copa da Liga Inglesa. O time não levanta um troféu internacional desde as conquistas da Liga dos Campeões e da Supercopa da Europa em 2005.
Klopp, por sua vez, mantém a sina de perder finais. Em sua primeira temporada no comando do Liverpool, ele repete no time inglês o fraco aproveitamento que teve em Copas no Borussia Dortmund. Em sete decisões no futebol alemão, perdeu quatro e venceu três, sem falar em dois vices no Campeonato Alemão.
Contando com forte apoio da torcida inglesa no estádio suíço, o Liverpool dominou o primeiro tempo com sobras. Aos 7 minutos, Emre Can já testava o goleiro David Soria. Sturridge, que começou como titular, levou perigo na sequência, aos 10, em cabeçada desviada quase na linha pela defesa.
O atacante teve outra boa chance aos 24, dez minutos antes de abrir o placar, com um belo chute de trivela. A jogada, brasileira, contou com Roberto Firmino e passe de Philippe Coutinho, resultando na finalização do inglês, de fora da área. Antes do gol, o Sevilla só ameaçara em um lance ofensivo, em inesperada finalização de bicicleta, de Gameiro.
Mas o gol só confirmou o controle do Liverpool em campo. Até o apito do árbitro no fim da etapa só deu o time inglês na primeira etapa. Aos 38, o time de Klopp quase ampliou. Lovren cabeceou para as redes, porém o árbitro anulou o lance por causa de impedimento de Sturridge, que participou da jogada.
A pressão inglesa contou ainda com dois lances polêmicos, em que defensores do Sevilla acertaram a mão na bola dentro da área. Os jogadores do Liverpool reclamaram muito, sem sucesso. Se não ajudaram a ampliar a vantagem no marcador, os lances perigosos abalaram a equipe espanhola, que estava perdida no fim da primeira etapa.
No segundo tempo, porém, tudo mudou. Exibindo uma mudança brutal de postura, o Sevilla buscou o empate aos 17 segundos da nova etapa. O lateral brasileiro Mariano foi o grande artífice do gol ao investir pela direita e, da linha de fundo, cruzar para Gameiro só completar para as redes. Dois minutos depois, o atacante quase decretou a virada, em ótima oportunidade.
Em um forte contraste com o primeiro tempo, o segundo foi todo do Sevilla. E as chances no ataque se sucediam. O mesmo Gameiro perdeu chance incrível aos 14, cara a cara com Mignolet, ao parar no goleiro do time inglês. A virada parecia inevitável. E foi confirmada três minutos depois.
Vitolo iniciou bela jogada pela esquerda, tabelando com Coke e Banega, entrando pela intermediária inglesa. Até que Coke surgiu pelo lado e acertou chute que surpreendeu Mignolet.
Preocupado, Jürgen Klopp colocou Origi, que estava voltando de lesão, no lugar de Firmino. Não teve tempo de ver o resultado da troca, porque o Sevilla anotou o terceiro, após uma vacilada da defesa inglesa. Coke, novamente, aproveitou a chance e, sem marcação dentro da área, bateu para as redes, aos 25.
Depois do susto, o Liverpool não se encontrou mais em campo. Klopp até reforçou o setor ofensivo com as entradas de Allen e Benteke. Porém, Coutinho esteve em dia apagado, contribuição pouco na armação. A torcida até sonhou com um "replay" da virada aplicada sobre o Borussia Dortmund nas quartas de final. Mas, desta vez, o time inglês não conseguiu renascer nos minutos finais.
Liverpool 1 x 3 Sevilla
  Mignolet; Clyne, Lovren, Kolo Touré (Benteke), Alberto Moreno; Emre Can, Milner, Lallana (Allen), Philippe Coutinho; Roberto Firmino (Origi) e Sturridge. Técnico: Jürgen Klopp.
  David Soria; Mariano, Rami (Kolodziejczak), Carriço, Sergio Escudero; N'Zonzi, Banega (Cristóforo), Krychowiak, Coke; Vitolo e Gameiro (Iborra). Técnico: Unai Emery.
Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia