Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de maio de 2016. Atualizado às 02h06.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Notícia da edição impressa de 12/05/2016. Alterada em 12/05 às 02h07min

Mercosul e UE negociam para fechar acordo de livre comércio

Agronegócio brasileiro aguarda decisão sobre a comercialização de carnes com europeus

Europeus deixaram de fora carnes e etanol, produtos que faziam parte do que havia sido sinalizado pela UE há 12 anos e que eram aguardados pelo agronegócio brasileiro


JUAN MABROMATA/AFP/JC
Em um movimento esperado desde 2004, quando os dois blocos deram início às negociações para um acordo de livre comércio, Mercosul e União Europeia (UE) trocaram suas ofertas ontem, em Bruxelas (sede da UE, na Bélgica). Os sul-americanos excluíram de sua proposta setores industriais considerados sensíveis, como os de automóveis e de bens de capital. Já os europeus deixaram de fora carnes e etanol, produtos que faziam parte do que havia sido sinalizado pela UE há 12 anos e que eram aguardados pelo agronegócio brasileiro. "O jogo recomeçou", disse o subsecretário de Assuntos Econômicos e Financeiros do Ministério das Relações Exteriores, Carlos Márcio Cozendey.
A proposta do Mercosul atinge 87% dos itens comercializados com a UE. Além disso, a oferta inclui abertura nas áreas de serviços, investimentos e compras governamentais. "É uma proposta bastante ampla, mas ainda é um primeiro passo. São ofertas iniciais, que vão dar origem à negociação", afirmou Cozendey.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia