Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de maio de 2016. Atualizado às 10h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

10/05/2016 - 10h03min.

Safra de grãos 2015/16 deve cair 2,5% e ser de 202,39 milhões de toneladas, diz Conab

A Conab salienta que a queda se deve principalmente ao milho segunda safra, fortemente prejudicado pela seca do mês de abril

A Conab salienta que a queda se deve principalmente ao milho segunda safra, fortemente prejudicado pela seca do mês de abril


KARINE VIANA/PALÁCIO PIRATINI/JC
A safra brasileira de grãos 2015/16, que se encerra no mês que vem, deve alcançar 202,39 milhões de toneladas, o que corresponde a uma queda de 2,5% em comparação com o período anterior (207,7 milhões de t). Os números fazem parte do 8º levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta terça-feira (10).

Segundo os técnicos da Conab, "a falta de chuvas resultou na redução da produtividade das safras de soja e milho", prejudicando o resultado da produção nacional. A Conab salienta que a queda se deve principalmente ao milho segunda safra, fortemente prejudicado pela seca do mês de abril. A expectativa é de uma produção de 52,9 milhões de t, 3,1% a menos que os 54,6 milhões de t da safra 2014/2015.

A soja, responsável por 47,9% da produção nacional de grãos, mesmo afetada pelo clima, registrará produção superior a da safra passada em virtude do crescimento de 3,1% na área cultivada. A estimativa é de um aumento de 677,1 mil t em relação aos 96,2 milhões de t da safra 2014/2015, totalizando 96,9 milhões de toneladas.

Para o arroz (11 milhões de t, queda de 11,6%), milho primeira safra (27,07 milhões de t, menos 10,1%) e algodão em pluma (1,44 milhão de t, menos 7,8%), a produção apresenta problemas por causa da redução na área plantada. Segundo a Conab, a recuperação das produtividades de feijão reflete em aumento da produção, apesar da queda na área plantada do País. As três safras anuais devem totalizar 3,03 milhões de t, leve queda de 0,3% ante período anterior (3,04 milhões de t).

A Conab divulgou também o primeiro levantamento das culturas de inverno. O destaque é a cultura do trigo, que deve registrar produção de 5,8 milhões de toneladas, 5,3% superior à safra anterior (5,53 milhões de t).

A área total de grãos deve alcançar 58,13 milhões de hectares, o que representa um aumento de 0,3% frente à safra 2014/15 (57,93 milhões de hectares).

Conforme a Conab, a exemplo do que ocorreu nas duas últimas safras, a expectativa para o milho primeira safra é de redução de 10,6% na área, reflexo no crescimento no plantio da soja. Já para o milho segunda safra, a expectativa é de ganho de área de 6,4%. O feijão apresenta redução de 7,3% na primeira safra, aumento de 1,8% na segunda e aumento de 6,6% na terceira safra.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia