Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de maio de 2016. Atualizado às 10h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

09/05/2016 - 10h25min.

Dólar sobe com petróleo instável, impeachment e Zelotes no radar

O dólar ganha força nesta segunda-feira (9), depois de abrir em queda por conta da alta do petróleo. A moeda norte-americana passou a subir ante o real exatamente depois de a commodity começar a perder valor nos mercados de Nova Iorque e Londres.

Também valoriza-se em relação à maioria das divisas de países emergentes e ligadas a commodities, além do iene. Para essa segunda-feira, não há previsão de leilão de swap cambial reverso pelo Banco Central (BC). Do exterior, a influência é negativa para ativos domésticos, após os dados fracos da balança comercial da China no fim de semana e a expectativa quanto à eficiência das medidas anunciadas pelo Conselho Estatal da China com o objetivo de impulsionar as exportações.

De forma geral, pesa sobre as decisões de investimento nesta segunda a cautela em torno do futuro governo Michel Temer e da decisão do STF sobre mandados de segurança pedindo que a votação do impeachment no plenário da Câmara dos Deputados seja anulada.

Os desdobramentos da nova fase da Operação Zelotes também estão no radar. Por conta dessa operação, o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento na manhã desta segunda.

Às 9h34min, o dólar à vista subia 0,57%, na máxima a R$ 3,5234. O dólar para junho avançava 0,64%, na máxima a R$ 3,5475.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia