Porto Alegre, quinta-feira, 28 de abril de 2016. Atualizado às 19h31.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
13°C
16°C
6°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,4970 3,4990 0,68%
Turismo/SP 3,4500 3,5900 1,10%
Paralelo/SP 3,4500 3,5900 1,10%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

senado 28/04/2016 - 19h27min. Alterada em 28/04 às 19h31min

Discurso de Reale Jr. não se ateve ao crime de responsabilidade diz Lindbergh

Jefferson Rudy/Agência Senado/Divulgação/JC
Senadores da base do governo criticaram o discurso do jurista Miguel Reale Jr.

Senadores da base do governo criticaram o discurso do jurista Miguel Reale Jr. na comissão especial do impeachment. "Foi um discurso muito político e não se ateve ao crime de responsabilidade", disse o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) sobre a fala do jurista, um dos autores do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff e convidado para sustentação oral na comissão.
Como o início da fala dos convidados atrasou quase duas horas em relação ao horário estipulado, Reale Jr. estava com pressa para sair da reunião, em função de um voo para São Paulo. "Não é possível que o senhor vai falar e não vai nos ouvir", reclamou Lindbergh.
O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) concordou com o petista: "O senhor foi ousado ao enviar o pedido de impeachment e espero a mesma grandeza para flexibilizar sua agenda e permanecer nesta comissão". O jurista disse que "não poderia ser cobrado" por isso e justificou a necessidade de deixar o Congresso Nacional.
Antes, ouviu de Lindbergh que "a base conceitual do pedido estava equivocada" e que "não viu base jurídica suficiente para se afastar uma presidente da República". "É um escândalo. Espero que a Janaína consiga colocar seus pontos, porque esses argumentos não são juridicamente suficientes para afastar Dilma" disse o senador.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Cardozo percorre gabinetes para convencer senadores a votar contra impeachment
A primeira reunião foi com o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) na tarde desta terça-feira
Senado aprova US$ 482,5 milhões de crédito externo para Estados
Os empréstimos serão revertidos em projetos específicos de infraestrutura, meio ambiente e controle fiscal
Delcídio falta ao quarto depoimento e Conselho de Ética vota relatório na terça Senado comunica Planalto sobre impeachment e convida Dilma a se defender
No documento, há o pedido para que a presidente Dilma Rousseff, se desejar, se manifeste sobre diligências ou providências

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo