Porto Alegre, terça-feira, 26 de abril de 2016. Atualizado às 23h03.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
12°C
14°C
6°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5180 3,5200 0,81%
Turismo/SP 3,4500 3,6300 1,35%
Paralelo/SP 3,4500 3,6300 1,35%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Artigo Notícia da edição impressa de 27/04/2016. Alterada em 26/04 às 20h26min

PEC das novas eleições é inconstitucional

Gustavo Bohrer Paim

No dia 19 de abril, foi protocolada, no Senado Federal, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 20/2016, de autoria de seis senadores, incluindo o gaúcho Paulo Paim (PT). Trata-se de uma PEC que objetiva a convocação de novas eleições presidenciais para outubro de 2016, juntamente com o pleito municipal. Não há como negar que tal proposta é de uma inconstitucionalidade candente. Novas eleições, somente em caso de dupla vacância, seja por renúncia, seja por cassação pela Justiça Eleitoral, mas jamais por meio de uma PEC. As inconstitucionalidades não são poucas. A primeira delas é decorrente da cláusula pétrea, do art. 60, § 4º, II, da Constituição, que estabelece ser vedada proposta de emenda tendente a abolir "o voto direto, secreto, universal e periódico". E, por periodicidade, deve se entender não apenas que as eleições devam ser realizadas periodicamente, mas também que a duração do mandato deva ser respeitada. Como se não bastasse, no inciso IV, há uma proteção contra PEC tendente a abolir os "direitos e garantias individuais" e, aqui, haveria uma série deles que seriam violados, como a segurança jurídica e a irretroatividade. Ademais, revogar um mandato por PEC seria desconsiderar o processo de impeachment, pois este demanda quórum de 2/3 dos parlamentares, enquanto PEC necessita de apenas 3/5. Ora, caso não houvesse maioria suficiente para um impeachment, utilizar-se-ia uma PEC para afastar um presidente. Claro que não pode. Por fim, o art. 16 da Constituição estabelece o princípio da anualidade, que dispõe que a lei que alterar o processo eleitoral, a fim de evitar casuísmos, não vale para o pleito que ocorrer no período de um ano da sua publicação. Se não se admite aplicação de lei publicada a menos de um ano do pleito, imagine no curso do mandato. E a garantia constitucional da anualidade aplica-se para Emendas Constitucionais, como entendeu o STF. As inconstitucionalidades são tantas que se pode dizer que a simples cogitação de tal PEC já seria inconstitucional.
Advogado, professor da Unisinos
COMENTÁRIOS


DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Fala, leitor!
Meço o que escrevo no jornal pelo retorno do leitor por meio do e-mail. Uns assinam, outros procuram pseudônimos
Nos limites da estabilidade política
Não temos, na nossa história política, momento como o de agora, em que chegamos aos extremos do risco da desestabilização
Tempo de plantar dias melhores
Nasci no ano em que Alcides Gigghia pelo lado direito fulminou Barbosa no lado esquerdo... Chute baixo e rasteiro
Opinião Econômica: Profecia

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo