Porto Alegre, quinta-feira, 28 de abril de 2016. Atualizado às 00h30.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
10°C
17°C
5°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5190 3,5210 0,02%
Turismo/SP 3,4500 3,6300 0%
Paralelo/SP 3,4500 3,6300 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Meio Ambiente Notícia da edição impressa de 28/04/2016. Alterada em 27/04 às 22h04min

Ecobarreira recolhe 20 toneladas de lixo do Dilúvio

CIBELE CARNEIRO/PMPA/DIVULGAÇÃO/JC
Estrutura, ainda em teste, está em manutenção após chuva de domingo

Suzy Scarton

A instalação da barreira ecológica, que impede a chegada de resíduos sólidos que flutuam pelo arroio Dilúvio ao lago Guaíba, em Porto Alegre, completa um mês hoje. Nesse período, a estrutura reteve quase 20 toneladas de lixo. A Ecobarreira, como é chamada, não conteve o lixo durante esta semana porque está passando por manutenção. A previsão é de que volte a funcionar na semana que vem.
De acordo com Luiz Carlos Zancanella Junior, vice-presidente da Safeweb, empresa de certificações digitais que deu vida ao projeto, a barreira possui um sistema de segurança, que abre automaticamente caso a correnteza do Dilúvio esteja muito forte. Foi o que ocorreu no domingo, depois da intensa chuva que caiu em Porto Alegre. Por isso, a estrutura flutuante passa por manutenção.
A barreira ainda está em fase de testes por um ano. "Verificamos algumas questões que precisaremos alterar. Depois desse período, vamos avaliar com a prefeitura se a estrutura está dando resultados positivos", comenta Zancanella. Por enquanto, a experiência tem sido satisfatória. "A barreira consegue reter quase 98% do lixo que passa por ali. Estamos surpresos com a quantidade de material retirado."
Entre os resíduos recolhidos, estão garrafas pets, papéis, madeira, isopor, capacetes de motociclistas e animais mortos.
Além do sistema, que intercepta qualquer resíduo que flutue pelo arroio em até 20 centímetros de profundidade, a Safeweb, em parceria com a empresa de soluções verdes Ecotelhado, também instalou plantas hidropônicas, que processam os resíduos orgânicos encontrados na água, ajudando a purificá-la.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Ministério do trabalho vê 23 irregularidades em unidade da Samarco
Do total, 18 estão relacionadas às condições de saúde e segurança dos trabalhadores
Fortunati sanciona lei que regulamenta prática esportiva no lago Guaíba
Descobertos recifes na foz do Rio Amazonas
Alojado em águas profundas, de até 120 metros de profundidade, o sistema todo é maior do que a região metropolitana de São Paulo
Secretário da ONU pede agilidade para novas regras climáticas entrem em vigor
O evento foi marcado para celebrar o Dia Internacional da Mãe Terra. Em sua mensagem, Ban Ki-moon disse que o Acordo de Paris, em conjunto com Agenda para o Desenvolvimento Sustentável para 2030, tem o poder de transformar o mundo

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo