Porto Alegre, sábado, 23 de abril de 2016. Atualizado às 14h17.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
30°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5700 3,5720 1,10%
Turismo/SP 3,4700 3,7200 1,63%
Paralelo/SP 3,4800 3,7200 1,63%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Patrimônio 23/04/2016 - 14h09min. Alterada em 23/04 às 14h17min

Abraçaço do Cais Mauá é adiado para 7 de maio devido ao mau tempo

O mau tempo em Porto Alegre, com chuva desde a manhã deste sábado (23), levou os organizadores a cancelarem o Abraçaço do Cais Mauá, que estava marcado para as 17h. A nova data é 7 de maio, com concentração a partir das 16h, na Avenida Sepúlveda, em frente ao pórtico principal.
O protesto faz parte das ações do Movimento Cais Mauá de Todos e Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RS), entre outras entidades, que questionam o atual modelo de revitalização do cais, que não tem mais operação portuária. O abraço é inspirado em outro ato histórico na orla do Lago Guaíba, ocorrido em 1988, quando militantes de entidades como Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan) reagiram a um projeto que permitiria erguer os chamados espigões (edifícios mais altos).
Katia Suman, uma das coordenadoras do Cais Mauá de Todos, diz que a intenção é cobrir com a extensão entre a Usina do Gasômetro e o pórtico. "Graças ao ato de 1988, o modelo de urbanização foi revisto", reforçou Katia. "Esperamos que o cidadão engajado e atento à sua cidade compareça."
Os movimentos tentam também na Justiça Federal impedir o avanço do complexo do consórcio privado Cais Mauá do Brasil, com os espanhóis do GSS, investidores da NSG Capital e o grupo brasileiro Bertin. Uma ação popular, com pedido de liminar, busca cancelar o atual contrato alegando que há cláusulas não cumpridas, como garantias financeiras. Um grupo nomeado pelo Estado fez estudo do contrato e divulgou relatório afastando supostas irregularidades.
O projeto prevê restaurar os armazéns tombados e erguer um shopping center, três torres, hotel e centro de eventos. O investimento já foi projetado em quase R$ 500 milhões e aguarda licenciamentos da prefeitura. A prefeitura deu aval ao relatório de estudo do impacto ambiental (EIA-Rima). A fase atual é do Estudo de Viabilidade Urbanística.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Restauro do Monumento aos Açorianos levará mais dois meses para ser concluído
Com danos estruturais, Ponte de Pedra começa a ser restaurada em Porto Alegre Obras no Monumento aos Açorianos vão durar 60 dias Seguro D&O tem resistência no País

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo