Porto Alegre, sexta-feira, 22 de abril de 2016. Atualizado às 00h20.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
21°C
29°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5310 3,5330 0,11%
Turismo/SP 3,4700 3,6600 1,34%
Paralelo/SP 3,4800 3,6600 1,34%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Rio de Janeiro Notícia da edição impressa de 22/04/2016. Alterada em 21/04 às 22h50min

Trecho de ciclovia desaba, e duas pessoas morrem

CHRISTOPHE SIMON/AFP/JC
Formação de ondas altas no local deveria ter sido prevista no projeto de construção da pista

Duas pessoas morreram nesta quinta-feira no desabamento de um trecho da recém-inaugurada ciclovia da avenida Niemeyer, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Até a noite desta quinta, não havia confirmação de quantas pessoas podem ter caído com a queda da estrutura. Batizada de Tim Maia, a ciclovia fica entre a pista da avenida Niemeyer e um penhasco, acima do mar e faz a conexão entre a Praia do Leblon e a orla do bairro de São Conrado, ambos na zona Sul da cidade. A estrutura, que teve custo de R$ 44,7 milhões e foi inaugurada no dia 17 de janeiro deste ano, é considerada uma obra de infraestrutura visando aos Jogos Olímpicos. O trecho que desabou tem cerca de 50 metros.
Segundo relatos de pessoas que passavam pelo local, a estrutura desabou após o impacto de uma onda o mar estava de ressaca.
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), que estava na Grécia para a cerimônia de passagem da Tocha Olímpica, assim que soube do ocorrido, anunciou sua volta ao Rio, onde é aguardado nesta sexta-feira. "É imperdoável, determinei a apuração imediata dos fatos", declarou, em nota.
O secretário municipal de obras Alexandre Pinto da Silva disse que não é possível afirmar ainda se houve erro de projeto. "Na verdade, toda ressaca é prevista, mas temos que ver as condições do local e investigar as causas do acidente", argumentou.
O secretário de Governo da prefeitura, Pedro Paulo Carvalho, também falou sobre a ressaca. "É um desastre inaceitável. Foi fruto de uma ressaca forte, uma onda que pegou de baixo para cima." Em seguida, afirmou que ainda é necessária uma perícia para determinar as causas do acidente. "Precisamos de uma avaliação para termos a informação correta do que causou o desabamento", disse.
A empreiteira Concremat, responsável pela construção da estrutura, pertence à família do secretário de Turismo do Rio de Janeiro, Antônio Pedro de Mello. A pasta ainda não se manifestou sobre a relação. Já o Consórcio Contemat-Concrejato informou que participou de processo de licitação, que foi acompanhado por todos os órgãos de fiscalização competentes.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Pezão conclui seu primeiro ciclo de quimioterapia
Governo federal libera R$ 3,5 bi para previdência Justiça suspende licitação vencida por Tiago Cedraz
Defesa Civil desocupa 300 casas em Angra após chuva

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo