Porto Alegre, domingo, 10 de abril de 2016. Atualizado às 22h37.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
25°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5950 3,5970 2,59%
Turismo/SP 3,6200 3,8100 0,78%
Paralelo/SP 3,6200 3,8100 0,78%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Sistema Financeiro Notícia da edição impressa de 11/04/2016. Alterada em 10/04 às 22h37min

Grandes empresas devem R$ 150 bilhões

J.F. DIORIO/AE/JC
Brasil, São Paulo, SP, 16/07/2015. Vista da fachada da sede da empresa Odebrecht, localizada na Rua Lemos Monteiro, no Butantã, zona oeste de São Paulo. A sessão de depoimentos da CPI da Petrobras busca elucidar a participação da Odebrecht no suposto esquema de propinas que ocorria na empresa de petróleo. - Crédito:J.F.Diorio/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Código imagem:186371

Os maiores bancos brasileiros montaram uma operação orquestrada para afastar o risco de calote que ronda as 15 principais empresas do País. Juntas, essas companhias acumulam uma dívida com o sistema bancário nacional de cerca de R$ 50 bilhões. Se incluídos os financiamentos no exterior, esse número sobe para R$ 150 bilhões. Nessas contas, porém, fica de fora a Petrobras, que, sozinha, responde por um endividamento bruto de
R$ 500 bilhões.
O rebaixamento da classificação de risco do Brasil e das principais companhias e bancos brasileiros tornou mais difícil e mais cara a renegociação das dívidas lá fora. Os bonds (títulos no exterior) da Odebrecht, por exemplo, estão sendo negociados a 12% do valor de face.

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
BMG retoma posto de banco mais criticado por clientes em fevereiro
Banco do Brasil quer ficar com R$ 5 bilhões do FGTS
Objetivo é utilizar os recursos para o financiamento de imóveis
Concessão de crédito diminuiu 3,2% em 2015 Cinco maiores bancos do Brasil se unem pelo cadastro positivo e criam gestora

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo