Porto Alegre, quinta-feira, 17 de março de 2016. Atualizado às 23h29.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
25°C
28°C
23°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,6500 3,6520 2,32%
Turismo/SP 3,6100 3,8000 4,28%
Paralelo/SP 3,6100 3,8000 4,28%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Artigo Notícia da edição impressa de 18/03/2016. Alterada em 17/03 às 19h47min

Cuidar da nossa casa comum

Dieter Wartchow

O tema da Campanha da Fraternidade deste ano, "Casa comum: nossa responsabilidade", associa o tema do saneamento básico, o qual compreende o abastecimento de água, o esgotamento sanitário, a drenagem urbana e os resíduos sólidos. Diz a campanha, "Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca (Amós 5,24)". A relação com o saneamento básico fica clara com a decisão da ONU que "reconhece que o direito à água potável e ao saneamento é um direito humano essencial...".
Nessa nossa casa comum, podemos reivindicar direitos, mas também temos responsabilidades de cuidar bem dela. E para cuidar bem da nossa casa, devemos manifestar solidariedade com quem não tem saneamento básico, como pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza, no semiárido e na zona rural. Cuidar do saneamento básico é fazer economia, pois, para cada real investido, deixa-se de gastar quatro reais com doenças relacionadas.
Para evitar que nossas fontes e rios sequem, colocando em risco direitos e justiça, precisamos prevenir e agir. Estão aí a dengue e a zika para demonstrar que não temos sidos bons cuidadores da nossa casa. No Brasil, metade dos resíduos gerados é depositada em lixões a céu aberto e, com as mudanças climáticas, que são uma realidade, nossas cidades, devido a alagamentos ou falta de água, não oferecem a qualidade de vida desejada pela população.
E o que fazer? Lembrar que o dia 22 de março é o Dia Mundial da Água e que 1,2 bilhão de pessoas não têm acesso à água. Nunca é tarde para recomeçar por nós mesmos, revisando nossos hábitos, conversando em família, cuidando das fontes e dos mananciais, eliminando os criadouros do mosquito transmissor da dengue. Podemos, ainda, distribuir solidariedade e agir com educação, não desperdiçar água, não poluir, separar nossos resíduos corretamente e participar fiscalizando.
Professor da Ufrgs
COMENTÁRIOS


DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Cinco dicas para quem deseja empreender no segmento de alimentação saudável Opinião econômica: Mudanças Opinião econômica: Acredito no futuro Integridade das marcas

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo