COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Imigração Notícia da edição impressa de 07/03/2016. Alterada em 06/03 às 20h52min

Naufrágio deixa pelo menos 25 mortos na costa turca

DIMITAR DILKOFF/AFP/JC
Cerca de 14 mil pessoas permanecem acampadas na região de Idomeni

Pelo menos 25 pessoas morreram afogadas ao largo da costa da Turquia enquanto tentavam alcançar a Grécia ontem. A Guarda Costeira turca lançou uma missão de busca por outros imigrantes que podem estar desaparecidos, relatou a agência de notícias estatal Anadolu.
Ainda segundo a agência de notícias, foram resgatadas outras 15 pessoas. Entre os mortos havia três crianças, informou a agência de notícias privada Dogan.
Também ontem, as autoridades da Macedônia impuseram novas restrições a refugiados que tentam cruzar a fronteira com a Grécia, permitindo a entrada apenas daqueles provenientes de cidades que consideram estar em guerra. Isso significa, por exemplo, que as pessoas de Aleppo, na Síria, podem entrar na Macedônia, vindas da Grécia, mas as provenientes da capital síria, Damasco, ou da capital iraquiana, Bagdá, não podem.
As restrições são o mais recente movimento da Macedônia para reduzir o fluxo de refugiados no país, e ocorrem um dia antes da reunião da União Europeia (UE) para discutir a crise migratória. Atenas tem criticado os vizinhos por não aderirem a acordos para levar parte dos refugiados, em um esquema de realocação que nunca saiu do papel.
Enquanto milhares de pessoas chegam no principal porto grego de Pireu, a partir das ilhas, cerca de 14 mil pessoas permanecem presas em Idomeni, com mais refugiados chegando a cada dia. O campo de refugiados superlotou, e milhares montam tendas entre as vias férreas e nas áreas adjacentes.
 
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Tsipras sugere punir países que não acolhem refugiados Refugiados protestam em Calais França desmantela parte do campo de refugiados de Calais
Áustria acusa Grécia de agir como "agência de viagens" de refugiados
O país aceitou receber cerca de 37,5 mil refugiados suplementares este ano

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo