Porto Alegre, quinta-feira, 31 de março de 2016. Atualizado às 14h09.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
31°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5580 3,5600 1,71%
Turismo/SP 3,6200 3,8000 0,52%
Paralelo/SP 3,6200 3,8000 0,52%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Indústria Automotiva Notícia da edição impressa de 31/03/2016. Alterada em 31/03 às 14h09min

Trabalhadores da Arteb protestam contra indefinição do pagamento da rescisão

CÉSAR MORAES/PLAYPRESS/DIVULGAÇÃO/JC
Trabalhadores da Arteb protestam contra indefinição do pagamento da rescisão pela GM foto César Moraes _Playpress

Os trabalhadores demitidos pela Arteb Faróis e Lanternas no início deste mês, juntamente com seus familiares, realizaram um protesto em frente à fábrica da General Motors, em Gravataí, na tarde de ontem. Com cartazes e gritos de ordem, eles demonstraram sua contrariedade com a situação de incerteza que passaram a viver desde o dia 16 de março, quando foram desligados da companhia que fabrica sistemas de iluminação para o setor automotivo. De acordo com o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí (Sinmgra), Noeldi Leal Trindade (Nando), a manifestação, apoiada pela entidade sindical, teve por objetivo pressionar a empresa a pagar a rescisão devida aos funcionários.
Segundo Trindade, que esteve conversando com os trabalhadores durante o protesto, não é possível aceitar a proposta feita pela Arteb de pagar a rescisão em 16 parcelas. "O sindicato já realizou reuniões com a diretoria da Arteb para que os pagamentos sejam feitos o mais rápido possível, pois são pais e mães de família que precisam destes recursos para sobreviverem - aponta Trindade. Para ele, a decisão da General Motors de romper o contrato de fornecimento dos produtos da Arteb para seus veículos agravou a crise econômica e social que Gravataí vive atualmente, deixando mais trabalhadores sem emprego.

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Montadoras de caminhões e ônibus reafirmam investimentos de R$ 2,78 bilhões
Somados, os valores de MAN, Iveco, Scania e Mercedes-Benz alcançam R$ 2,78 bilhões
Retomada do setor automotivo ocorrerá no quarto trimestre, prevê Anfavea Reunião entre Brasil e Argentina sobre acordo automotivo é adiada
Expectativa era de que um acordo automotivo fosse fechado e o Brasil está trabalhando para um livre comércio a partir do meio do ano
Financiamentos de veículos novos caem 22% em fevereiro, diz Cetip
Os resultados são da Unidade de Financiamento da Cetip, que compila dados das instituições financeiras

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo