Porto Alegre, domingo, 20 de março de 2016. Atualizado às 22h43.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
21°C
29°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5810 3,5830 1,88%
Turismo/SP 3,6100 3,7700 0,78%
Paralelo/SP 3,6100 3,7700 0,78%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Mineração Notícia da edição impressa de 21/03/2016. Alterada em 20/03 às 22h20min

Copelmi prepara início de obras de mina de carvão

FREDY VIEIRA/JC
Faria quer fornecer para Tractebel

Jefferson Klein

Se as obras da termelétrica Pampa Sul/Miroel Wolowski, da Engie Tractebel Energia, já estão em andamento, os trabalhos na mina de carvão Seival, que alimentará a usina, estão prestes a começar. A terraplenagem se iniciará em maio, e as obras civis, no terceiro trimestre. Ambos os complexos operarão no município de Candiota, sendo que a mina é de responsabilidade da Seival Sul Mineração (uma controlada do grupo Copelmi).
A previsão é que a obra na estrutura seja finalizada no segundo semestre do próximo ano, para iniciar a mineração em 2018. A mina deverá fornecer em torno de 2 milhões de toneladas do mineral ao ano para o empreendimento da Tractebel. A criação de empregos deverá ficar entre 300 a 400 postos de trabalho. O investimento no complexo será de aproximadamente R$ 103 milhões (estimativa de 2014, que deverá ser atualizada em breve).
De acordo com o diretor da Copelmi Carlos Faria, a mina possui uma reserva de 600 milhões de toneladas de carvão, das quais 350 milhões de toneladas certificadas e o restante em processo de certificação. O empresário adianta que a ideia é que a estrutura forneça combustível para a usina da Tractebel e, futuramente, para dois outros projetos da empresa Eneva (quando essas iniciativas saírem do papel).
Além da termelétrica da Tractebel e da mina do grupo Copelmi, outro assunto que tem sido destaque dentro do setor carbonífero é a expectativa quanto ao leilão de energia que o governo federal promoverá no dia 29 de abril. Os projetos vencedores do certame viabilizam a comercialização da energia a ser produzida. O presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM), Fernando Zancan, comenta que o desfecho desse tema dependerá do encaminhamento que será dado pelo governo federal.
O dirigente destaca que, se for priorizada a venda de um grande volume da gigantesca hidrelétrica de Belo Monte, não sobrará muito mercado para outras fontes. No Rio Grande do Sul, Zancan defende que uma ação que poderia aumentar o uso do carvão é desenvolver o processo de gaseificação desse mineral. "Isso alavancaria o setor, mas é preciso uma decisão de Estado, para saber como seria tratada a questão de um contrato de longo prazo", diz o presidente da ABCM.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Avança criação de grupo para avaliar demandas da mineração
Projeto Retiro espera obter licença neste semestre Diretor da Vale espera que Samarco volte a operar no fim do ano ou em 2017 Vale tem prejuízo de R$ 44,213 bilhões em 2015
No quarto trimestre, prejuízo líquido da Vale foi de US$ 8,569 bilhões, valor 4,6 vezes superior ao prejuízo anotado no mesmo período do ano anterior

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo