Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de novembro de 2016. Atualizado às 13h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios Corporativos

Notícia da edição impressa de 08/03/2016. Alterada em 24/11 às 14h03min

Grupo RBS anuncia venda de operações em Santa Catarina

Lirio Parisotto (foto) e Carlos Sanchez estão à frente do negócio

Lirio Parisotto (foto) e Carlos Sanchez estão à frente do negócio


ZANONE FRAISSAT/FOLHAPRESS/JC
O grupo RBS, empresa de comunicação multimídia e afiliada da Rede Globo, anunciou ontem a venda de suas operações de televisão, rádio e jornais em Santa Catarina. De acordo com nota divulgada pelo grupo, os acionistas da RBS e os empresários Lirio Parisotto e Carlos Sanchez, além de outros investidores, chegaram a um acordo para a transferência de controle dos ativos catarinenses. O valor não foi divulgado. A conclusão da venda ainda depende da aprovação dos órgãos regulatórios.
A venda inclui as emissoras RBS TV em Florianópolis, Blumenau, Joinville, Centro-Oeste, Chapecó e Criciúma, os jornais Diário Catarinense, Hora de Santa Catarina, A Notícia e Jornal de Santa Catarina e as rádios CBN Diário, além das emissoras FM Itapema e Rádio Atlântida FM. O número de funcionários chega a mil. O Grupo RBS estava em Santa Catarina desde 1979 e agora passa a concentrar suas operações no Rio Grande do Sul, onde foi fundado em 1958. Estão sob seu controle marcas como Zero Hora, Diário Gaúcho, Pioneiro, Rádio Gaúcha, Rádio Farroupilha e RBS TV, além de outros veículos. O grupo também é proprietário da e.Bricks, empresa de investimento digital que atua no Brasil e nos EUA.
Entre os novos controladores, o empresário Lirio Parisotto atua na área de mídia por meio de sua empresa Videolar, no setor de petroquímica a partir da Innova, adquirida da Petrobras, e sócio minoritário da Usiminas. Carlos Sanchez, do Grupo NC, é dono de um dos maiores laboratórios farmacêuticos genéricos do Brasil. Durante o anúncio do acordo de venda, os compradores afirmaram que não haverá mudanças na linha editorial dos veículos.
"Nenhuma grande mudança será feita nestas empresas. Nosso desafio será dar continuidade ao grande trabalho iniciado pela família Sirotsky", afirmou Lirio Parisotto. O anúncio da transação foi feito na redação do Diário Catarinense e contou com representantes de várias gerações de acionistas da RBS.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Sérgio 08/03/2016 11h05min
Será reflexo da operação Zelotes a venda urgente desses ativos?