Porto Alegre, terça-feira, 01 de março de 2016. Atualizado às 08h03.
Dia do Turismo Ecológico.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
18°C
29°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0020 4,0040 0,10%
Turismo/SP 3,8000 4,1400 0,24%
Paralelo/SP 3,8000 4,1400 0,24%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

indústria automotiva Notícia da edição impressa de 01/03/2016. Alterada em 01/03 às 08h03min

Metalúrgicos da General Motors aprovam acordo sobre o PPR

CESÁR MORAES/PLAYPRESS/DIVULGAÇÃO/JC
Trabalhadores da montadora realizaram assembleia em Gravataí

Rafael Vigna

Duas assembleias, realizadas na manhã e na tarde de ontem, selaram um acordo entre os trabalhadores da General Motors (GM) e a direção da montadora em Gravataí. Os metalúrgicos em atividade na planta industrial gaúcha aprovaram a proposta, mediada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, que prevê o pagamento de R$ 2,7 mil referente à segunda parcela do Programa de Participação de Resultados (PPR) de 2015.
Além disso, a direção da empresa se comprometeu em depositar, na próxima sexta-feira, o valor correspondente ao adiantamento da primeira parcela do 13º salário de 2016.
Agora, conforme explica o presidente do sindicato, Valcir Ascari, cerca de 6 mil funcionários receberão a segunda parcela, que deve integralizar a quantia de R$ 10,7 mil para cada colaborador da fábrica. O valor do primeiro pagamento do PPR 2015 foi de R$ 8 mil.
Desde o dia 28 de janeiro, a categoria reivindica melhores condições para a participação nos resultados. A pauta gerou inclusive a aprovação do estado de greve na primeira semana de fevereiro. Mesmo depois do acordo, este comunicado oficial, que precisa ser feito, no mínimo, 48 horas antes da interrupção das atividades, foi mantido por 3 mil sistemistas que atuam no complexo da GM no Estado.
"Nossa preocupação foi colocar mais dinheiro no bolso do trabalhador. Os companheiros da fábrica de Gravataí foram responsáveis pela produção do carro mais vendido no Brasil, o Onix, e fizeram por merecer o benefício que irão receber", comentou.
Inicialmente, o Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí pedia R$ 3.657,00. O valor havia sido calculado com base na possibilidade de integralização de cerca de 80% dos resultados. A empresa, por sua vez, oferecia R$ 1,4 mil. O impasse chegou ao Tribunal Regional do Trabalho, que propôs o acordo em R$ 2,7 mil.
Segundo Ascari, a partir da semana que vem, a categoria inicia as discussões sobre o PPR de 2016. O dirigente sindical explica que a pretensão dos trabalhadores é ampliar os recebimentos ou manter uma faixa bastante próxima dos R$ 10,7 mil recebidos pelos resultados obtidos no ano passado.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Trabalhadores de fábrica da Dana em Gravataí concordam em aderir ao PPE
Em meio à forte queda na venda e na produção de veículos, a Dana informou que 1.100 funcionários concordaram hoje em aderir PPE
Acordo automotivo entre Brasil e Argentina é importantíssimo, diz Temer Toyota faz recall por falha no cinto de segurança; Suzuki convoca motos
A ação envolve 11.184 unidades, com data de fabricação entre 2 de agosto de 2005 e 6 de agosto de 2012
GM estuda cancelar investimento no Brasil
A empresa pode rever seu plano de investimento no Brasil de R$ 6,5 bilhões e com previsão de cobrir gastos até 2019

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo