Porto Alegre, quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016. Atualizado às 10h00.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
37°C
25°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0140 4,0160 0,55%
Turismo/SP 3,7500 4,1700 0,47%
Paralelo/SP 3,7500 4,1700 0,47%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Gestão Notícia da edição impressa de 16/02/2016. Alterada em 15/02 às 22h30min

Extinção de empresas foi recorde em 2015 no Estado

FREDY VIEIRA/JC
Fechamentos de negócios superaram as aberturas, explica Jacoby

Os efeitos da crise econômica e do consequente aumento do desemprego foram sentidos, em 2015, também nas estatísticas da Junta Comercial do Rio Grande do Sul (Jucergs). No ano passado, foram extintas 64.991 empresas no Estado, maior número desde 2003, quando começa a catalogação dos dados pela instituição. Ao mesmo tempo, 2015 também marcou a explosão nos registros de Microempreendedores Individuais (MEIs), que chegaram a 84.579 nos 12 meses do ano - um aumento de 100,6% em relação a 2014.
"Desde o segundo semestre, percebe-se que o número de fechamentos se tornou maior do que os de constituições de empresas no Estado", argumenta o secretário-geral da Jucergs, José Tadeu Jacoby. Desde 2007, o número de fechamentos oscilava entre 23 mil e 28 mil extinções de negócios no Rio Grande do Sul, com exceção de 2014, quando o crescimento começou a ser sentido, ainda que de forma menos vistosa. Naquele ano, foram 31.459 as empresas fechadas em solo gaúcho, ainda assim um número bem abaixo, menos da metade, do que o calculado em 2015. E, de acordo com o dirigente, tudo indica que a situação se repita em 2016, talvez até com um novo recorde.

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Plano de recuperação da Manlec é aceito
A tradicional varejista gaúcha terá uma carência média de 20 meses para começar a pagar suas dívidas
Marco Peixoto é empossado como novo presidente do TCE-RS Descontinuidade administrativa é prejudicial, avalia presidente da Celulose Riograndense Governança dita o rumo das empresas, diz Gerdau

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo