Porto Alegre, quarta-feira, 03 de fevereiro de 2016. Atualizado às 19h50.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
31°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9180 3,9200 1,70%
Turismo/SP 3,8500 4,1500 0,95%
Paralelo/SP 3,8500 4,1500 0,95%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Energia 03/02/2016 - 20h28min. Alterada em 03/02 às 20h50min

Tarifas de energia devem cair cerca de 7% a partir de março, diz ministro

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/JC
Ministro afirmou que manter a bandeira vermelha é desnecessário

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, informou nesta quarta-feira, 3, que o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) determinou o desligamento de usinas térmicas que, juntas, geram até 2 mil megawatts de energia, a partir de 1º de março. No total, serão desligados sete empreendimentos térmicos.
"Com preços de geração (CVU) superiores a R$ 420 por megawatt-hora, a economia com o desligamento dessas usinas deve ser superior a R$ 7 bilhões", calculou o ministro. Ele ainda afirmou que, com a decisão, a bandeira vermelha, que vigora desde janeiro do ano passado, será substituída pela amarela. E, mantidas as condições climáticas, existe possibilidade de chegar a verde em abril.
"Estamos entrando em novo ciclo, com viés de baixa no custo de geração e tarifa para consumidor", afirmou. Nos cálculos dele, somando o desligamento das térmicas em agosto do ano passado com as de agora, mais a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) 30% menor que a de 2015, as tarifas devem cair cerca de 7% a partir de março. Apenas com as próximas sete térmicas que serão desligadas, seria gerado um recuo entre 3% e 4%. Apenas no sistema de bandeiras, haverá uma queda de R$ 3 da vermelha para R$ 1,50 na amarela.
De acordo com o ministro, o nível dos reservatórios das hidrelétricas estão elevados, e a expectativa para novembro no Sudeste, quando chegar o período de seca, é de que estejam em 30%. "Nós estamos com todos os cenários sendo analisados para que possamos chegar a novembro com capacidade de armazenamento de energia melhor que em 2015", disse o ministro. "A decisão de desligar as térmicas a partir de 1º de março acima de R$ 420 CVU é conservadora", afirmou.
Braga disse ainda que manter a bandeira vermelha seria impor um custo desnecessário ao consumidor. Contando as térmicas que foram desligadas em agosto de 2015, cerca de 40% delas foram paralisadas. "Não vai haver desabastecimento, as decisões foram tomadas de forma prudente", garantiu.
Romeu Donizete Rufino, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), afirmou que o Brasil conseguiu inverter o ciclo de alta das tarifas. "O processo tarifário em 2016 deve ser bem mais comportado que no ano passado, com reajustes bem inferiores até mesmo que a inflação", ponderou.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Geração de energia eólica deve continuar crescendo nos próximos anos
Estimativa é que em 2024 o parque eólico brasileiro deverá responder por 11,5% de toda a energia gerada pelo país

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo