Porto Alegre, quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016. Atualizado às 08h31.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
35°C
24°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0690 4,0710 1,85%
Turismo/SP 3,7500 4,1900 1,69%
Paralelo/SP 3,7500 4,1900 1,69%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Painel Econômico Danilo Ucha


Painel Econômico

Notícia da edição impressa de 17/02/2016

Carne de cordeiro está muito cara

RUY GESSINGER/ESPECIAL/JC
Um cordeirinho sendo examinado na Pecuária Gessinger

A revalorização da ovinocultura, que vem acontecendo, nos últimos anos, no Rio Grande do Sul, é importante para a economia de determinadas regiões do Estado, pois se trata de uma atividade que cria riqueza, dá emprego no campo e usa áreas não apropriadas para a agricultura. Esta revalorização se deu pela substituição do ovino-lã pelo ovino-carne, com maior demanda no mercado de consumo, em oposição à diminuição do mercado da lã no mundo (agora lã está atraente de novo). A valorização do ovino-carne foi extraordinária, pois, há pouco mais de 10 anos, o mercado pagava pouco acima de R$ 1,00 pelo quilo vivo do animal. Hoje, os preços chegam a R$ 6,00 e até R$ 7,00 kg/vivo, maiores do que os preços do boi, que andam em torno de R$ 5,50. Para o criador foi muito bom. Deu rentabilidade à atividade e voltou aos bons tempos da lã, quando a ovelha pagava todas as despesas da estância.

Carne de cordeiro II

Mas a moeda tem outro lado. Fez-se tanta propaganda em cima da qualidade e da sanidade da carne de cordeiro - que se tornou sofisticada -, que a demanda superou a oferta, e os preços, para o consumidor, dispararam. Chegaram a verdadeiros absurdos, como constata Ruy Gessinger, ex-desembargador do Tribunal de Justiça, hoje pecuarista em Unistalda, onde cria gado Angus, cavalos Crioulos e ovinos Ile de France. Apesar de estarmos na safra do cordeiro, em açougue na praia, ele encontrou a carne a R$ 70,00 o quilo, enquanto a costela de gado estava a R$ 40,00. E fez suas contas. Um bom cordeiro pesa 50 kg. Com o quilo vivo a R$ 5,00, sai da fazenda por R$ 250,00 cada um. Abatido, dará rendimento de 50%/60%. Somando impostos, combustíveis, energia, folha de pagamento dos empregados do abatedouro e distribuição, o quilo passaria a um custo de R$ 20,00. É fora da realidade, então, que, no açougue ou no supermercado, chegue a
R$ 70,00. "Nós, que cuidamos dos bichos, quebramos geadas para salvar os cordeirinhos do frio, pegando ressolanas, ganhamos R$ 5,00 pelo quilo. Lá na ponta, vendem por R$ 70,00!"
 

Imposto de Renda

Apesar da tabela do Imposto de Renda estar com defasagem de 72,2%, pois as quedas vêm se acumulando desde 1996, o governo não pretende atualizá-la, para prejuízo dos contribuintes. Mas 17 grandes confederações nacionais de trabalhadores resolveram lançar uma campanha tentando forçar o governo a fazer uma atualização.
 

Representantes

O Grupo Marpa, que trabalha com propriedade intelectual e registro de patentes, abriu 56 vagas para representantes no Rio Grande do Sul, Paraná e Distrito Federal. Enviar currículos para rh.michela@marpa.com.br ou cadastrar no site da Marpa www.marpa.com.br.
 

Turismo

Os vitivinicultores da Serra gaúcha que também se dedicam ao enoturismo, recebendo visitantes em suas cantina, lamentam a má safra deste ano, mas comemoram os bons resultados turísticos de 2015: 397.529 visitantes passaram pelo Vale dos Vinhedos no ano, número nunca antes atingido. O aumento em relação ao ano anterior foi de 34%, superando as expectativas da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), que projetava um incremento de 10% a 15%. As previsões para 2016 seguem otimistas devido à alta do dólar, que tem, inclusive, incentivado os consumidores a optarem por vinhos e espumantes nacionais, embalados pelas experiências que o enoturismo proporciona.
 

Não vem

A presidente da República, Dilma Rousseff, não irá a Caxias do Sul para a abertura da Festa da Uva, dia 18. A informação foi transmitida ao prefeito Alceu Barbosa Velho pelo assessor da Presidência Alvaro Baggio.
 

Ultravioletas

A partir de agosto, os brasileiros poderão monitorar a exposição a raios ultravioletas pelo celular. A La Roche-Posay (L'Oreal) apresentou, em Las Vegas (EUA), o My UV Patch, um adesivo para a pele que mede e monitora a exposição aos raios ultravioletas. Com a ajuda de um aplicativo de celular, o usuário tira uma foto do My UV Patch, maleável e individual, e o sistema determina a quantidade de radiação solar à qual ele foi exposto. A novidade chegará ao Brasil já em agosto.
 

Cidade sem lei

Os comerciantes do bairro Cidade Baixa continuam reclamando da insegurança na região, onde ocorrem assaltos, ataques a motoristas para roubar os carros e invasão de estabelecimentos comerciais, sem que apareça um policial sequer na região, tanto da Brigada Militar quanto da Polícia Civil. Na sexta-feira, um restaurante sofreu uma invasão de três ladrões armados de revólveres que levaram todos os pertencentes dos clientes.
 

O Dia

  • A Associação Comercial de Porto Alegre comemorou 158 anos no início da semana. É uma das mais longevas entidades representativas do comércio gaúcho.
  • Até o dia 6 de março, o Iguatemi recebe a Feira do Estudante. Mais de 5 mil itens escolares, como livros didáticos, canetas, cadernos e mochilas, todos os dias, no 1º piso da praça Erico Verissimo.
  • Começará a circular a nova edição da revista Press Advertising. Principal reportagem é a discussão dos limites da imprensa e da propaganda.
  • A Conab realizará novo leilão de feijão, ofertando 4,85 mil toneladas. Às 9h, em Brasília.
  • A CIC Caxias do Sul realizará almoço com o secretário do Meio Ambiente daquela cidade, Adivandro Rech, sobre licenciamento ambiental.
  • A especialista em tributos da Pactum Martina Robinson explicará as novas disposições do ICMS nas operações interestaduais, às 14h.

COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Iniciativa para o desenvolvimento tecnológico de máquinas agrícolas Vitivinicultores pedem socorro Novos ônibus para a frota de Porto Alegre Apoio à indústria da lã no Rio Grande do Sul

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo