Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de janeiro de 2017. Atualizado às 16h17.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Cinema

06/01/2016 - 19h27min. Alterada em 06/01 às 21h05min

Tradicional cinema de rua de Porto Alegre, Cine Victoria volta a funcionar

 Entrevista com Luiz Carlos, administrador do Cine Victoria na Avenida Borges de Medeiros, que reabriu na última sexta-feira.

Entrevista com Luiz Carlos, administrador do Cine Victoria na Avenida Borges de Medeiros, que reabriu na última sexta-feira.


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Letícia Bay
Os tradicionais cinemas de rua, que desapareceram em Porto Alegre, estão voltando. O Cine Victoria, que faz parte da história da cidade desde 1940, chegou a ser um dos mais prestigiados pelos cinéfilos. O estabelecimento, que fechou as portas em fevereiro de 2015, voltou a exibir filmes no início de 2016.
O responsável pela volta do Cine Victória é Luiz Carlos Moreira Maurente, que já trabalhava na área, no município de Montenegro, na região metropolitana. O proprietário ficou surpreso com a notícias de que a rede Arcoíris, última a operar no ponto, não renovaria o contrato com o condomínio. “As pessoas começaram a questionar por que motivo uma das últimas salas de cinema de calçada de porto alegre estava fechando”, conta.
Assim como a Cinemateca Capitólio, que aproveitou o espaço do antigo Cine-Theatro Capitólio, e entrou novamente em funcionamento em 2014, o Cine Victoria foi fundado com o nome de Cine Teatro Vera Cruz, na esquina da Borges com a Andrade Neves. O local já havia fechado em 1950 e reabriu em 1953, com o nome de Victoria. Em 1999 foi instalado na Borges de Medeiros, 453, onde funciona atualmente. “Esta história e esse resgate do Cine Victoria é importantíssimo para a cidade, acredito que a gente possa proporcionar isso”, ressalta o empresário.
Com valores acessíveis, de R$ 5 a R$ 12 reais, os horários são estratégicos de acordo com o público que circula no centro, com sessões entre o meio dia e às 20h, mas a ideia é oferecer horários também pela manhã. O cinema funciona de terça-feira a domingo. As segundas-feiras deverão ser destinadas em breve para a exibição de filmes culturais e alternativos.
Filmes como Star Wars – O Despertar da Força e Hotel Transilvânia 2 fazem parte da programação. A proposta inicial é dar continuidade aos filmes de circuito, mas também estudar a preferência do público frequentador. “Queremos organizar a nossa programação dentro daquilo que o público quer”, ressalta Maurente.
A estrutura conta com duas salas, uma com 200 e outra com 150 lugares. Os equipamentos são digitais e o espaço foi todo repaginado. Maurente conta que, além dos US$ 70 mil de cada equipamento, adquirido através de financiamento do Bndes, investiu mais de R$ 70 na reestruturação do local. O administrador acredita que em cerca de 12 meses espera recuperar o investimento.
“A nossa ideia é fazer o Victoria voltar ao auge, porque é um cinema de tradição. Nós sabemos da importância que o cinema tem para a cultura da cidade” completa Maurente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Fabio 06/01/2017 15h27min
A iniciativa em tese é ótima, mas vc pega a programação e só tem filme dublado. Aí é dose.
Roberta 06/01/2016 21h35min
Visitei ontem e aprovo! Projeção melhor que a dos cinemas GNC, inclusive. O ar condicionado das salas estava ótimo. É uma boa pedida.