Porto Alegre, segunda-feira, 11 de janeiro de 2016. Atualizado às 21h35.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
32°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0500 4,0520 0,29%
Turismo/SP 3,7000 4,2100 0,47%
Paralelo/SP 3,7000 4,2100 0,47%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Agronegócios Notícia da edição impressa de 12/01/2016. Alterada em 11/01 às 22h12min

Arrozeiros traçam estratégia contra a crise

CAMILA DOMINGUES/PALÁCIO PIRATINI/JC
Chuvas geraram atraso no plantio do arroz em diversas áreas do Estado

Rafael Vigna

Uma reunião realizada na tarde de ontem, na sede da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), definiu a estratégia dos arrozeiros gaúchos para enfrentar a nova crise no setor. Até o momento, segundo dados do Irga, dos cerca de 1,069 mil hectares de área plantada no Estado, 143 mil hectares estão alagados em razão das chuvas. Deste universo, 35 mil hectares - quase 15% da produção - já são considerados como perdas efetivas da safra.
Com base no mesmo levantamento, na região da Campanha, que abrange municípios de tradição orizícola, como Rosário, Dom Pedrito, Bagé e São Gabriel, já existe 22% da área de plantio alagada. Isto equivale a 37 mil hectares. Já na Depressão Central, 52%, ou 74 mil hectares das terras destinadas ao plantio, exibem as mesmas condições.
"Precisamos de ações unificadas e posicionamentos conjuntos entre o poder público e entidades ligadas ao setor, para que possamos avançar em medidas para minimizar a situação. Vamos construir uma pauta e apresentá-la na abertura da colheita do arroz, no dia 19 de fevereiro", destacou o secretário Ernani Polo.
Por isso, conforme explica o diretor executivo da Federarroz, Anderson Ricardo Belloli, o objetivo do encontro foi atualizar o secretário estadual da Agricultura, Ernani Polo, sobre a atual condição das lavouras. Na presença de entidades como Fetag, Irga, Farsul, Federarroz, além da Câmara Setorial do Arroz, ficou definido uma nova rodada de negociações para 4 de fevereiro. Até lá, os dirigentes deverão atualizar os levantamentos econômicos sobre as perdas. Na mesma data, as instituições financeiras apresentarão o total de produtores segurados atingidos.
Belloli lembra que, além do problema das enchentes, os produtores já foram penalizados como uma elevação estimada entre 15% e 25% nos custos de produção. Insumos básicos, como os adubos, sofreram com o câmbio ao longo de 2015. Segundo o dirigente, a Federaroz já trabalha com a questão do pré-custeio e da definição sobre o preço pago ao produtor, o chamado FGPM. "É fundamental que isso ocorra e trabalhamos para descobrir a melhor solução para verificar um calendário para este tipo de custeios. Só assim, teremos condições de enfrentar esse momento", comenta.
O presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva, afirma que já existe um aceno favorável do governo federal quanto aos recursos do pré-custeio. Por outro lado, ele destaca que os prejuízos não estão restritos às áreas alagadas. De acordo com o dirigente, historicamente, em propriedades que atrasam o plantio, as perdas de produtividade chegam a 20%. "Neste ano, quando se deveria encerrar o plantio no máximo até novembro, existem relatos de arrozeiros que terminaram em dezembro. Isso resultará em novas perdas", afirma.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Ministra da Agricultura negocia ampliação do seguro agrícola União avalia perdas de arrozeiros por enchentes Porto Alegre abre colheita de uva e ameixa Irga estima perdas de 15% na safra de arroz

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo