Porto Alegre, quinta-feira, 03 de dezembro de 2015. Atualizado às 21h43.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
28°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7470 3,7490 2,24%
Turismo/SP 3,6000 3,9500 2,94%
Paralelo/SP 3,6000 3,9500 2,94%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

congresso nacional Notícia da edição impressa de 04/12/2015. Alterada em 03/12 às 22h19min

Dilma Rousseff vai buscar apoio de governadores

WILSON DIAS/ABR/JC
Presidente Dilma Rousseff reuniu o Conselho Político para tratar do processo de impeachment

A presidente Dilma Rousseff (PT) deve receber governadores aliados na próxima semana em busca de apoio contra o pedido de impeachment aberto contra ela pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner (PT), a ideia é chamar, em outras oportunidades, também os governadores de oposição que seriam contrários ao processo.
O ministro afirmou também que a decisão do governo é fazer com que o processo de impeachment contra Dilma caminhe o mais rápido possível, "combinando legalidade com celeridade". Segundo ele, na reunião da presidente com 23 ministros na tarde desta quinta-feira, foi pedido a todos que "verbalizassem" o ponto de vista contra o impeachment, aliado às ações junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) em busca de lacunas na legislação. "Entrada na Justiça nada tem a ver com postergação. Nossa decisão é fazer com que o processo seja mais rápido possível, combinando legalidade com celeridade", disse o ministro.
De acordo com Wagner, o processo de impedimento não é exclusivamente político, se lastreia na questão jurídica e, na opinião do governo, não tem nenhum lastro em crime de responsabilidade contra a presidente. "Acreditamos que, seguramente, teremos uma vitória", disse.
Indagado sobre as manifestações previstas no Brasil, tanto pró quanto contra o impeachment, Wagner disse acreditar que alguns torcedores "contra Dilma" também se manifestarão contra o processo.
"Não se trata só dos torcedores da presidenta Dilma. Queremos juntar os torcedores da institucionalidade e da democracia, e vamos fazer um chamamento a todas as entidades que não sejam partidárias", completou.
O ministro voltou a criticar o ato do presidente da Câmara e citou que a decisão só foi tomada após deputados do PT fecharem posição contrária a Cunha no processo enfrentado pelo parlamentar no Conselho de Ética. "Se a moda pega, vai se banalizar o instrumento tão nobre como o impedimento", afirmou Wagner, garantindo que pedaladas fiscais utilizadas para sustentar o pedido não são crime de responsabilidade. "Não há dolo, não há mácula, há uma crise. Não atingir a meta não configura dolo, nem crime de responsabilidade".
Wagner voltou a falar que Cunha mentiu ao dizer que o deputado André Moura (PSC-SE) esteve reunido com Dilma e que ela teria proposto a ele o apoio do PT no Conselho de Ética em troca da aprovação da CPMF. "Ele (Moura), a quem eu tenho respeito, não vai dizer que esteve com Dilma", afirmou.
Jaques Wagner voltou ainda a externar o alívio do governo com a decisão de Eduardo Cunha e afirmou que, "agora que a faca foi puxada, as coisas vão começar a ficar mais claras", disse. "Com a democracia não se brinca", concluiu o ministro da Casa Civil.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Lula chama de 'loucura' decisão de Cunha sobre impeachment Cunha deflagra impeachment contra Dilma Presidente reage indignada e faz ataque direto a Cunha Congresso aprova projeto que muda meta fiscal de 2015
A sessão começou com obstrução da oposição. Dois requerimentos dos oposicionistas, um para inversão da pauta e outro para inversão de preferência, foram rejeitados pelo plenário

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo