Porto Alegre, domingo, 20 de dezembro de 2015. Atualizado às 10h11.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
ND
29°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9470 3,9490 1,43%
Turismo/SP 3,7500 4,1100 0,24%
Paralelo/SP 3,7500 4,1100 0,24%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

mundial de clubes 20/12/2015 - 11h07min. Alterada em 20/12 às 11h11min

Com 2 de Suárez, Barcelona domina River Plate e fatura 3º Mundial de Clubes

TORU YAMANAKA/AFP/JC
Elenco catalão celebra mais uma conquista mundial

O Barcelona fez valer neste domingo (20), na final do Mundial de Clubes, todo o seu favoritismo e o domínio que impôs na Europa no primeiro semestre do ano. O time catalão conquistou o título com uma vitória incontestável sobre o River Plate, no International Stadium, em Yokohama. O placar de 3 a 0, com dois gols de Luis Suárez e um de Lionel Messi, voltou a comprovar o poder ofensivo do time catalão, mas não fez jus ao domínio espanhol, que poderia ter goleado o rival argentino no Japão.
Messi e Neymar foram titulares e formaram o famoso trio ofensivo do Barça ao lado de Suárez. A dupla, que era dúvida para esta final, teve boa atuação, apesar dos recentes problemas físicos. Mas quem mais brilhou em campo foi o uruguaio, mais novo artilheiro do Mundial. Com dois gols marcados neste domingo, chegou aos cinco, dividindo o recorde da competição com o próprio Messi e com César Delgado (do mexicano Monterrey). Messi precisou de três edições para chegar aos 5 gols. Delgado, de duas. E Suárez somente de uma.
Com atuação mais discreta, Neymar não deixou sua marca, mas se destacou em jogadas individuais e deu assistência para dois gols em passe para Messi, no primeiro gol, e cruzamento preciso para Suárez, no terceiro. Mesmo voltando de lesão muscular, o atacante esteve em campo durante quase toda a partida. Foi substituído somente aos 43 minutos do segundo tempo.
Para o Barcelona, a conquista marca um domínio recente no Mundial. Trata-se do terceiro título em sete anos. Como venceu em 2009 e 2011, se tornou o time com mais troféus desde 2000, quando a Fifa passou a organizar a competição - foi ainda vice-campeão em 2006, ao ser derrotado pelo Internacional na final.
O troféu também sela um ano brilhante para o time catalão. Foram ao todo cinco títulos em 2015, três deles no primeiro semestre: Campeonato Espanhol, Copa do Rei e Liga dos Campeões. No início do segundo semestre, faturou a Supercopa da Europa. E agora a torcida catalã comemora o Mundial de Clubes.
O JOGO - Ciente do poderio ofensivo e do favoritismo do rival, o River Plate apostou na intensidade física para tentar surpreender o Barcelona nos primeiros minutos da partida. Marcação forte e adiantada, na saída de bola, foi a estratégia dos argentinos para aumentar suas chances no difícil duelo.
Mas não tiveram sucesso no primeiro tempo, apesar de um ou outra oportunidade que surgiu. A primeira foi logo aos 5 minutos, quando Viúdez disparou pela direita e cruzou com perigo. Piqué fez o desvio. A atenção na marcação e as roubadas de bola quando o Barcelona ainda "acordava" em campo empolgaram a torcida argentina, com forte presença nas arquibancadas. Os mais exaltados gritavam "olé" a cada troca de passes do River.
Aos poucos, contudo, o Barcelona foi assumindo o controle da partida. Aos 10, o time catalão deu pequena mostra de sua facilidade para chegar ao ataque. Um passe preciso de Iniesta encontrou Messi dentro da área. O argentino finalizou com perigo e só não abriu o placar porque o goleiro Barovero fez bela defesa.
Aos 33, quando Messi bateu falta com perigo e exigiu outra intervenção de Barovero, o domínio espanhol já era ostensivo. Dois minutos depois, o mesmo atacante abriu o placar em jogada iniciava em cruzamento de Daniel Alves na área. Neymar ainda escorou de cabeça antes de Messi dominar rapidamente e bater para as redes. No lance, a bola acertou o braço do argentino. A defesa do River Plate não reclamou.
Antes do intervalo, o time argentino já dava sinais de cansaço, sem conseguir prosseguir no ritmo intenso do início. O Barcelona assim, encontrava mais espaços. Aos 45, Messi fez linda jogada pela direita e enfiou para Suárez, que saiu na cara do goleiro, mas chutou para fora.
Depois de desperdiçar a grande chance, Suárez não perdoou no início do segundo tempo, em jogada semelhante. Busquets fez o lançamento e o uruguaio finalizou para as redes e venceu Barovero, ampliando a vantagem da equipe catalã, aos 4 minutos.
O gol no início da segunda etapa abalou a confiança do River, que vinha motivado para os 45 minutos finais, com duas alterações no intervalo. Perdido em campo, cedia cada vez mais espaço em sua defesa. Messi quase aproveitou o momento favorável para marcar mais um. Aos 7, ele tabelou com Neymar e bateu fraco facilitando o trabalho do goleiro argentino. Na sequência, o trio ofensivo do Barça criou quatro chances seguidas, sem sucesso. A posse de bola atingia 65%.
Com tal domínio, o Barcelona não demorou para ampliar a vantagem no marcador. Aos 22, Neymar acertou preciso cruzamento para Suárez escorar de cabeça para as redes. Foi seu quinto gol no Mundial.
Daí em diante, o time catalão diminuiu o ritmo, com exceção de Neymar. O brasileiro seguia em busca do seu gol, com boas jogadas individuais, apesar da falta de ritmo. No fim, acabou substituído por precaução porque já tinha cartão amarelo e vinha se desentendendo com a marcação dos argentinos.
Mesmo sem grande ânimo, o River construiu duas boas chances para ao menos reduzir o placar. Aos 31, Alario cabeceou com perigo e Bravo fez linda defesa, quase à queima-roupa. E, aos 38, Driussi finalizou de fora da área. O goleiro do Barcelona fez o desvio e a bola ainda acertou a trave. Não foi o suficiente para iniciar uma improvável reação dos argentinos.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Barcelona encara time comandado por Felipão River sua, mas vence campeão japonês e vai à final do Mundial de Clubes River estreia em busca de título inédito para Argentina Carrasco do Inter em 2010, Mazembe é eliminado do Mundial de Clubes

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo