Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Edição impressa de 05/10/2015. Alterada em 10/08 às 16h25min

Caribe é destino acessível para o mergulho

Tobago possui 54 pontos de atrações submarinas, alguns no mar caribenho; e outros, no Oceano Atlântico

Tobago possui 54 pontos de atrações submarinas, alguns no mar caribenho; e outros, no Oceano Atlântico


KADU PINHEIRO/DIVULGAÇÃO/JC
Adriana Lampert
Considerando outros lugares do mundo, atualmente o Caribe está entre os destinos mais acessíveis para viajantes em busca de aventuras submarinas e imagens paradisíacas. A não ser que a escolha do turista seja ficar no Brasil, as alternativas mais baratas em tempos de dólar a R$ 4,00 estão nas águas cristalinas do mar das Caraíbas ou nas de ilhas do vizinho Oceano Pacífico. Até o final de abril de 2016, por exemplo, o preço das passagens do voo da Gol que parte de São Paulo com destino à Tobago, no Caribe, estão com descontos de 30%, exceto nas semanas de Reveillon, Carnaval e Páscoa - o que torna a ilha caribenha um dos destinos internacionais mais em conta para quem gosta de mergulhar. Operadoras como CVC, Ancoradouro, Vectra Viagens, Baritur e Azul Profundo já estão trabalhando o produto e disponibilizando pacotes especiais para os brasileiros.
"Mesmo com a alta do dólar, o custo-benefício de uma viagem para Tobago está bastante atrativo para quem quer conhecer um destino diferenciado", argumenta o gerente de Marketing da Azul Profundo, Carlos Eduardo Barreto, que também é instrutor de mergulho e conhece os principais pontos da atividade no mundo. "Os pacotes para uma semana de estadia (com tudo incluído, exceto a alimentação) para este e outros destinos no Caribe, em geral, estão custando a partir de US$ 2 mil para o segmento de mergulho", descreve Barreto. O desconto do transporte aéreo, que baixou de US$ 599 para US$ 400 taxas, ajuda bastante. Os voos para a ilha caribenha têm saídas semanais e duração de cerca de sete horas. "Também está acessível viajar para Bonaire, Curaçao, Aruba, Cuba e Colômbia (todos no Caribe)", emenda o gerente da Azul Profundo. Para se traçar um comparativo, um pacote de mergulho para destinos do Egito (África) ou do mar Vermelho e Maldivas (Oceano Índico) custa a partir de US$ 6 mil para viagens com cerca de 10 dias de estadia.
No caso de Tobago, há 54 pontos de investida para quem quer conhecer a vida submarina, tanto no Mar do Caribe como no Atlântico. "É possível cruzar de um para o outro em questão de minutos", detalha Barreto. "As águas são cristalinas e há uma excelente infraestrutura para mergulho, com temperatura da água sempre agradável (média de 25 a 28 graus ao longo do ano inteiro). Outra vantagem é a proximidade dos pontos, já que a maioria deles está a menos de 15 minutos de barco da costa."
De acordo com o proprietário da operadora Undersea Tobago, Derek Chang, no Sul caribenho é possível ver grandes cardumes de peixes, muitos corais, rochas e o naufrágio Maverick, uma balsa de passageiros que foi afundada em Mount Irvine em 1997 e tornou-se um ecossistema fértil. "Toda a estrutura está coberta de ostras, lagostas e abriga muitas moreias", ressalta Chang, destacando que, por sua vez, a costa Sudeste é "perfeita para a prática de snorkeling", devido às águas claras de regiões como Nylon Pool e o Parque Nacional de Buccoo Reef. No Norte da ilha, que é banhado pelo Oceano Atlântico, os mergulhos exigem mais experiência, uma vez que apresentam maiores profundidades e corrente mais forte.
"Independentemente do local, é necessário que o mergulhador iniciante faça um curso (com duração de oito turnos em média) para garantir segurança e melhor aproveitamento da experiência", explica a proprietária da escola Planeta Mergulho, Niara Cabrera Faria. "Caso contrário, o máximo que o turista irá conseguir é um mergulho de batismo, acompanhado de instrutor", emenda. De acordo com Niara, nos últimos cinco anos, a procura por cursos de mergulho "cresceu muito". Segundo a empresária, a demanda é grande e o público varia, "incluindo casais, famílias e grupos de amigos já com viagens marcadas". O curso básico no Planeta Mergulho custa em torno de R$ 1,2 mil e garante carteira de mergulhador (habilitação necessária para quem quer passear sozinho pelo fundo do mar) para quem for aprovado nas provas práticas, que ocorrem na Ilha do Arvoredo, em Santa Catarina.

Experiência proporciona ao visitante a descoberta de belezas naturais e da vida marinha

Aqueles que tiverem a oportunidade de conhecer o Parque Nacional Jardim de La Reina, em Cuba - que se destaca não só pelo tamanho (2.170 km2), mas também por ser o mais conservado e diversificado no Caribe -, irão se deparar com um visual de corais, gorgônias, algas, esponjas, moluscos, crustáceos, tartarugas e peixes de grande porte. Toda esta beleza natural, agregada ao valor educacional e científico da vivência, atraem turistas do mundo inteiro. Somente ali, ocorre a desova de quatro das principais espécies de tartarugas marinhas de Cuba.
Na opinião do servidor público federal, Rafael da Silva (33 anos), o mergulho proporciona a descoberta de um mundo "surreal". "Eu não esperava que fosse tão legal", comenta. Silva teve a oportunidade de mergulhar com uso de snorkel, na Ilha do Pirata, ao lado de Cartagena (Colômbia), no início de 2014. Pelo passeio, que incluiu 50 minutos em praia particular e almoço, pagou cerca de R$ 150,00. Na mesma época, ele experimentou o "batismo" nas águas de Búzios (RJ), dessa vez com cilindro e máscara, em uma profundidade de seis metros abaixo do nível do mar. "Foi ainda mais incrível: vi muita fauna marinha, corais, peixes, ouriços, cavalos marinhos e também tartarugas, o que me surpreendeu", conta Silva. De acordo com ele, o preço da experiência em Búzios, que contou com a orientação de um instrutor, custou R$ 180,00 por pessoa.
"Existem lugares maravilhosos e acessíveis para se conhecer também no Brasil", aponta o instrutor de mergulho Bryan Parsley. Segundo ele, a melhor época para conhecer a vida submarina de Fernando de Noronha (Pernambuco) e boa parte dos destinos deste segmento no Nordeste é justamente o mês de outubro. No caso de Fernando de Noronha, destaca o gerente de Marketing da operadora Azul Profundo, Carlos Eduardo Barreto, os pacotes que dão direito a uma semana de estadia (incluindo passagens, transfers e tempo de mergulho) custam cerca de R$ 4 mil. "Nesta época, também começa a ficar bom para os mares do Caribe, mas é melhor ainda no final do ano", compara Parsley, que tem uma ressalva para iniciantes: "Não recomendo o batismo. Melhor investir em um curso, porque é preciso estar preparado teórica e psicologicamente para problemas que podem surgir no mergulho".
Um dos empecilhos para quem quiser conhecer além das areias e da beira das praias de lugares conhecidos pela tradição da prática de mergulho, como Ilha Grande, Arraial do Cabo (ambos no Rio de Janeiro) ou Abrolhos (Bahia), é a possibilidade de entrar água na máscara durante o mergulho. "É preciso ter calma para resolver este problema, e, se preciso for, subir devagar, para evitar uma hiperexpansão pulmonar, que causa consequências graves", comenta Parsley. O instrutor também não recomenda a atividade para quem tem pressão alta ou problemas cardíacos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia