Duda Guerra

O prédio está na família da empreendedora há 25 anos e, agora, abriga a Vila Cervejeira

Antiga locadora do Quarto Distrito vira bar especializado em cervejas artesanais

Duda Guerra

O prédio está na família da empreendedora há 25 anos e, agora, abriga a Vila Cervejeira

Regiane Gomes cresceu no local que hoje é a Vila Cervejeira, localizada no bairro São Geraldo, no Quarto Distrito. O prédio foi construído há 25 anos, pelo pai da empreendedora, que transformou o lugar em uma vídeo locadora. Com o passar dos anos, o negócio da família fechou e o espaço foi posto para aluguel, até que em 2019, Regiane, 29 anos, junto com o marido, Guilherme Santoro, 30, resolveu transformar a paixão por bares e cervejas artesanais em negócio.
Regiane Gomes cresceu no local que hoje é a Vila Cervejeira, localizada no bairro São Geraldo, no Quarto Distrito. O prédio foi construído há 25 anos, pelo pai da empreendedora, que transformou o lugar em uma vídeo locadora. Com o passar dos anos, o negócio da família fechou e o espaço foi posto para aluguel, até que em 2019, Regiane, 29 anos, junto com o marido, Guilherme Santoro, 30, resolveu transformar a paixão por bares e cervejas artesanais em negócio.
Guilherme é engenheiro civil, mas aceitou embarcar com a companheira no novo empreendimento, e, desde então, ele investe seu tempo livre no estabelecimento. Regiane é formada em Direito, mas nunca chegou a exercer a profissão, ela diz que sempre teve vontade de comandar o próprio negócio. Por isso, dedica-se totalmente à Vila Cervejeira, que abriu as portas oficialmente em março de 2022.
O bar tem a proposta de popularizar as cervejas artesanais e ser um espaço familiar. O funcionamento tem início às 17h30min, de quarta-feira a sábado, e o lugar permanece aberto, normalmente, até às 2h. O ambiente é amplo e a decoração foi toda feita e pensada pelos donos, que desejam oferecer um ambiente acolhedor e confortável para a clientela. “Queria um lugar que o pessoal viesse beber sem problemas”, diz Regiane.
LUIZA PRADO/JC
Atualmente, a casa conta com quatro marcas artesanais, todas gaúchas, mas os sócios afirmam que gostam de trazer marcas novas para o cardápio. “Buscamos, de vez em quando, modificar, para o pessoal conhecer, porque é a Vila Cervejeira, nós não temos exclusividade”, afirma Guilherme. Os preços das bebidas variam, mas opções de 600ml custam a partir de R$ 8,00. Oferecer opções artesanais com preços mais acessíveis é um dos objetivos do negócio. “Queríamos quebrar o tabu da cerveja artesanal e, ao mesmo tempo, trazer esse preço justo”, explica a proprietária.
O bar tem parceria com o food truck Kombô, que vende hambúrgueres, pizzas, nachos mexicanos e outros tipos de comida em frente ao negócio, mas a dupla também possui os próprios aperitivos, que são mais simples e seguem a linha de petiscos tradicionais de bares e botecos, como iscas de carne e frango. O lugar  conta com um espaço para reserva de eventos, como formaturas e aniversários, além de uma lareira para aquecer o ambiente no inverno.
O casal possui muitas ideias para o futuro da Vila. Levar o bar até a rua, com feiras e eventos pontuais, é uma das projeções. O modelo foi testado com um encontro especial de festa junina e, de acordo com os sócios, foi um sucesso. O desejo é expandir o prédio, aproveitando todos os ambientes do estabelecimento, mas sempre mantendo a estética acolhedora e caseira.
LUIZA PRADO/JC
Duda Guerra

Duda Guerra - estagiária do GeraçãoE

Duda Guerra

Duda Guerra - estagiária do GeraçãoE

Leia também

Deixe um comentário