Victória Paz

A Cometa Kids inaugurou no bairro Intercap de forma estratégica

Escola de educação infantil desenvolve metodologias ativas para crianças

Victória Paz

A Cometa Kids inaugurou no bairro Intercap de forma estratégica

Não foi fácil para ninguém, mas o setor de escolas infantis não teve escapatória. Com os espaços fechados no auge da pandemia do coronavírus, muitas famílias optaram por encerrar contratos com esse tipo de negócio. O faturamento chegou perto de zero para muitos, o que gerou demissões e frustrações. Neste início de maio, no entanto, a situação está totalmente diferente, até com o retorno das apresentações de Dia das Mães presenciais. É um momento em que se pode voltar a investir e, principalmente, a sonhar.
Não foi fácil para ninguém, mas o setor de escolas infantis não teve escapatória. Com os espaços fechados no auge da pandemia do coronavírus, muitas famílias optaram por encerrar contratos com esse tipo de negócio. O faturamento chegou perto de zero para muitos, o que gerou demissões e frustrações. Neste início de maio, no entanto, a situação está totalmente diferente, até com o retorno das apresentações de Dia das Mães presenciais. É um momento em que se pode voltar a investir e, principalmente, a sonhar.
O ano de 2022 já começou com o pé direito para Sabrina da Silva Martins e Tatiana Furstenau. Em janeiro, as duas abriram a Escola Cometa Kids, próximo à avenida Antônio de Carvalho, na Intercap, em Porto Alegre. O local utiliza o método Emmi Pikler, que estimula a criatividade, consciência ambiental, habilidades perceptivas e motoras das crianças através dos elementos da natureza, sustentabilidade e brincadeiras. E o planejamento ocorreu, justamente, durante a pandemia.
"Foram dois anos estudando o endereço e tentando inovar na metodologia para trazer um atrativo que o bairro estava necessitando. Na região, não há escolas de educação infantil com um bom acesso para os pais. Aproveitamos esse retorno de aulas presenciais para abrir no momento certo e de forma estratégica", expõe Tatiana. De acordo com as empreendedoras, a Intercap contempla as necessidades de Porto Alegre e de Viamão, por estar perto da saída das duas cidades. "O bairro está em crescente. É uma zona residencial, mas está se tornando comercial. A escola fica no meio do caminho entre dois municípios e, para os pais, é um facilitador na hora da locomoção", completa.
Sabrina percebe que, após tanto tempo longe de outras pessoas, as famílias passaram a prestar atenção em vários aspectos na hora de escolher onde deixar seus filhos. "A metodologia e abordagens são tão importantes quanto as aulas, pois elas são um complemento. A ideia da Cometa é fazer com que os alunos estejam sempre em movimento. Em cada canto da escola, há um estímulo diferente com várias temáticas para que ninguém brinque apenas em um lugar", explica.
LUIZA PRADO/JC
Os protocolos também continuam sendo valorizados pela equipe e pelos familiares. A Cometa, por exemplo, segue adotando cuidados recomendados na pandemia. "O uso da máscara e do álcool em gel é fundamental. Realizamos a higienização das salas e, principalmente, no berçário, pois as crianças manuseiam os brinquedos e algumas acabam levando na boca. Além disso, os funcionários trocam de sapatos e roupas assim que chegam na escola", conta Sabrina.
Outros métodos de segurança, aliás, foram incluídos na rotina dos estudantes, o que deve ficar de legado para o futuro. A agenda agora é online, por aplicativo, e há câmeras em todos os ambientes para que quem está longe possa acompanhar a rotina. "É sempre um desafio abrir uma escola justamente por insegurança das famílias que não nos conhecem. Optamos por sermos transparentes no nosso dia a dia e através da agenda virtual, onde anotamos o monitoramento do comportamento da criança, planejamento semanal e fotos adicionais", afirma Sabrina.
A Cometa oferece berçário, maternal e jardim, incluindo crianças de 4 meses a 6 anos. Segundo as sócias, com o retorno das aulas presenciais, a adaptação dos alunos, que passaram meses em casa, está positiva. "A socialização da criança é extremamente importante e o sentimento delas era de saturação. Brincamos que o processo de separação é geralmente mais difícil para os pais. Não existe tempo determinado ou reação certa, é preciso estimular para que seja um momento tranquilo", diz Sabrina, vislumbrando um futuro cheio de saúde e alunos.
LUIZA PRADO/JC
Victória Paz

Victória Paz - estagiária do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Victória Paz

Victória Paz - estagiária do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário