Luka Pumes e Vitorya Paulo

Listamos os empreendimentos que foram inaugurados ao longo do ano e que ganharam as páginas do GeraçãoE

Guia de novos locais para comer e curtir em Porto Alegre

Luka Pumes e Vitorya Paulo

Listamos os empreendimentos que foram inaugurados ao longo do ano e que ganharam as páginas do GeraçãoE

Se tem um segmento que os leitores do GeraçãoE engajam de forma intensa nas redes sociais é o da Gastronomia. Quando publicamos notícias sobre lugares novos, chovem comentários e compartilhamentos.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Se tem um segmento que os leitores do GeraçãoE engajam de forma intensa nas redes sociais é o da Gastronomia. Quando publicamos notícias sobre lugares novos, chovem comentários e compartilhamentos.
Para facilitar a vida de quem está sempre em busca de empreendimentos recém-abertos, preparamos o inédito Experimenta! – Guia de Lugares Novos para Comer e Curtir. Selecionamos os cafés, bares, restaurantes e pubs lançados ao longo de 2019 e que ganharam as páginas do GE.
Esse conteúdo é publicado nesta época do ano, também, de forma estratégica. Primeiro, para que esse balanço pudesse ser feito da maneira mais completa possível. Segundo, porque janeiro e fevereiro são meses de férias para muitas pessoas – que podem incluir o roteiro em seus dias de folga em Porto Alegre.
Sabemos que vários outros negócios pulularam pela cidade, mas nos reservamos a registrar os que passaram pelas nossas reportagens. Sinta-se à vontade para nos indicar (através do Instagram ou Facebook) os seus endereços favoritos, para que possamos visitar em 2020 – garantimos que não será sacrifício nenhum!
Além das novidades, convidamos quatro personalidades gaúchas para nos indicarem aquelas casas que sempre vão em momentos marcantes de suas vidas. Ah, e como circulamos demais por aí, compartilhamos, em primeira pessoa, as nossas dicas próprias.
E para quem tem espírito empreendedor e ainda não tirou do papel o sonho de ter um negócio gastronômico, pedimos para uma especialista contar o que será tendência nessa área em 2020. Pegue teu celular, vá para a mesa daquele café que tu mais curte e deguste esse conteúdo, que transborda inspiração.

Sala Precisa

Petrificus Totalus! Você está petrificado e terá que ler nossa lista até o fim. O ano de 2019 presenteou os porto-alegrenses que são fãs de Harry Potter com o café Sala Precisa, inspirado no mundo bruxo. O local abriu as portas de maneira discreta, em soft opening para amigos e para quem aparecesse por lá. O GE publicou sobre a operação e, segundo a sócia Chara Ney, isso modificou a forma de trabalho. "Foi a matéria que fez dar o boom no café. Não deu dois dias e começamos a ter filas constantes. Aprendemos de uma forma mais completa, porque iniciamos com pouca gente e agora estamos com um quadro maior de funcionários. Ainda há filas nos sábados, mas o pessoal já notou que os melhores horários são durante a semana, quando não temos mais espera, embora o movimento continue intenso." Para 2020, os planos passam por renovação, mas sem perder a identidade. "Ano que vem queremos melhorar algumas coisas. Vamos fechar em fevereiro para dar férias coletivas e aprimorar a experiência de estar no Sala. É importante repaginar para que não seja a mesma coisa sempre."
Joaquim Nabuco, nº 197

Capincho Bar

O Capincho Bar, que abriu em março no 4º Distrito, é administrado pelo chef Marcelo Schambeck. Os primeiros meses, segundo a sócia Flavia Mu, teve resultados satisfatórios. "Estamos fechando o ano felizes, com posicionamento de marca e retorno financeiro", diz. Para 2020, os visitantes poderão provar uma cerveja nova da casa, em cocriação com a Narcose Cervejaria.
Av. São Paulo, nº 901

Notting Hill

Rogério Pontes tem o propósito de transformar a rua Santa Cecília em um pedacinho da Inglaterra. O empreendedor já tocava o restaurante Liverpool quando, em 2019, decidiu instalar o Notting Hill, casa que oferece o chá da rainha. A reportagem do GeraçãoE ajudou o negócio a chamar atenção da clientela. "Sabíamos que, com o decorrer do tempo, o fluxo de clientes diminuiria. Aproveitamos para fidelizar as pessoas nesse boom. Estávamos trabalhando com um produto repaginado, associado a uma divulgação massiva, o que nos levou a uma grande repercussão e a remontar estratégias em linha geral", lembra ele. O Notting Hill, agora, planeja uma adaptação para o verão. "Estamos lançando dois produtos de impacto pensando no calor. Fico contente em dizer que, além de tudo, estamos abrindo espaço para novos talentos artísticos, desde a música ao teatro", afirma Rogério, ao mencionar os eventos culturais que o empreendimento promove.
Santa Cecília, 1.535
 

4beer - Unidade Tristeza

A 4beer já tinha um espaço no 4º Distrito e decidiu expandir para a Zona Sul. Quando o GE visitou o local, alguns dias antes da inauguração, os últimos detalhes estavam sendo colocados em ordem, mas, segundo Rafael Diefentähler, as expectativas tratadas na época foram correspondidas. "Começou bem como se esperava. Vem crescendo mês a mês."
A característica de público, no entanto, é um pouco diferente da primeira unidade. "Aqui é mais família. Assimilamos rapidamente e já colocamos um espaço kids no local. Temos um cardápio mais amplo agora, também, com opções de cordeiro. Temos uma projeção de 15% de crescimento para 2020 na Zona Sul."
Wenceslau Escobar, nº 2.075

Lancheria do Ildo

Inaugurada em junho, a Lancheria do Ildo, consagrado ex-garçom da Lancheria do Parque, cresceu a ponto de mudar de categoria: de MEI, o negócio passou para pequena empresa. O apreço pela matéria do GE foi tanto que Ildo, agora, deixa a versão impressa emoldurada logo na entrada do estabelecimento. "Todo o bom conteúdo tem resultado", afirma. Como projeção de futuro, o dono espera se organizar para atender e acolher melhor os seus clientes.
General João Telles, 378

Monkey Jack

Paula Peretto, empreendedora responsável pela Monkey Jack, é herdeira da rede Doces Maquiné. Seguindo a lógica da família, a jovem de 27 anos decidiu investir na alimentação também. Focada em Cinnamon Roll (rolinhos de canela, como um pão doce), a Monkey foi tema da coluna Conexões RS, da Mauren Motta, quando abriu sua primeira unidade, no Shopping Iguatemi. Segundo Paula, a rede está em constante progressão. "Abrimos no Barra dois meses depois da matéria, e, na mesma semana, mais um ponto no Iguatemi. Estamos chegando em Santa Catarina, nos municípios de Tubarão e Criciúma já está tudo certo. Avançando para Florianópolis e Balneário Camboriú. Em 2020, a meta é buscar o mercado paranaense e depois o paulista."
A empreendedora conta como foi a repercussão da matéria: "Fiquei impressionada com o quanto as pessoas procuram a informação. É muita gente que diz 'sei quem tu é, te vi na reportagem!'", diverte-se Paula.
Iguatemi e Barra
 

Mark Hamburgueria

No processo de consolidação como uma referência em hambúrguer de Porto Alegre, a Mark Hamburgueria projeta fechar 2019 com um aumento de 35% no faturamento em relação a 2018. Quem afirma é o proprietário, Mark Bandeira. O crescimento também se deve à nova casa no bairro Auxiliadora, aberta em julho. "Nosso foco é conseguir ter o mesmo movimento que temos na unidade da Cidade Baixa", afirma. Na Travessa dos Venezianos, o restaurante já completou cinco anos.
Mariland, 908
 

Bike Hut

O Bike Hut é um espaço que reúne cafeteria, oficina e loja de bicicletas. Eduardo Affonso André, o proprietário do local, conta que o espaço deu uma estagnada devido a sazonalidade. "Ser loja de rua afugenta o cliente no inverno, embora o café seja uma bebida pra qualquer época. A bike tem tendência de melhorar, estamos entrando, com o calor, em um bom período. Além de tudo estamos reinaugurando a loja, como conceito". Há, agora, também, uma parceria com uma gigante do mercado de bicicletas. "Conquistamos uma colaboração sólida com a Dorel Sports, que entre outras marcas, administra a Caloi, o que garante um acesso ao portfólio 2020 antes da concorrência", finaliza Eduardo.
Av. Nilópolis, nº 15

Coffee & Stuff

O Coffee & Stuff, cafeteria para falar inglês, ficou pequeno para a procura. Com um aumento de quase 70% no faturamento após a matéria publicada pelo GE, em maio, as sócias do negócio decidiram expandir a área de mesas para o recuo do jardim. "Prevemos mais sete mesas para atender a demanda", revela Melissa Marsillac. Além da adaptação, outra ideia é requerer à Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC) um parklet (área de convívio na calçada) para expandir ainda mais o espaço aproveitável ao ar livre, mesmo que seja público. "Os jovens procuram lugares mais aconchegantes e intimistas hoje em dia", opina Melissa.
Fernando Gomes, nº 132

Chiwawa

O Chiwawa renasceu em 2019 com o propósito de resgatar um pedaço da história gastronômica de Porto Alegre. O restaurante funcionou com este mesmo nome no Menino Deus entre as décadas de 1970 e 1990, até acabar em litígio entre os sócios. Cintia Gonçalves, uma das responsáveis pela nova gestão do Chiwawa, filha de um dos antigos fundadores, afirma que o negócio cresceu. "Está expandindo. Tivemos a 'Casa do Camarão' quando a primeira versão do Chiwawa fechou e os clientes estão vindo para cá". O local aposta em jantares harmonizados.
Teixeira Mendes, nº 1.216
 

Dometila

Dometila: local que renasceu em 2019. Após um período inativo, o negócio de Claiton Franzen voltou a operar no Moinhos de Vento, em novo endereço. A tradição de receber os clientes com chuvas de pétalas continua, além da expansão da ação no delivery. "Está melhorando a cada dia. Consegui resgatar todos os meus clientes e buscar novos", diz. Uma vez por mês o empreendimento promove uma festa com temática retrô.
Av. Nova York, nº108
 

Bar Paralela

Tomando forma. É assim que Rafaella Tonietto Coppeti, uma das sócias do Bar Paralela, focado em mulheres, define o negócio hoje. "Estamos em constante processo de aprendizado e realizando todas as mudanças e adaptações necessárias", afirma. Para 2020, a expectativa é atingir novos públicos, com posicionamento mais sólido e adaptações na ambientação. "Precisamos, inicialmente, obter maior controle e organização do espaço que já temos."
Lopo Gonçalves, nº 66

Startt & Brothers Café

O Startt & Brothers Café abriu esse ano e atraiu a clientela no inverno com sopas no pão. Para o verão, um novo cardápio está sendo preparado, com chope, drinks, carta de vinhos e espumantes, muffins, doces, sanduíches com pão de fermentação lenta e diversas opções para veganos, celíacos e intolerantes à lactose. Quem dá os detalhes é a sócia do negócio, Bruna Startt, que já vê a fidelização do público em cinco meses de cafeteria. "Nosso espaço físico é o mesmo, porém investimos em mais mesas na parte de fora, pois notamos uma grande procura devido ao clima agradável", conta. Após a matéria do GE, em junho, Bruna afirma que o café ganhou novos clientes "que pesquisaram sobre as sopas no pão no Google e viram a matéria". Segundo a sócia, as adaptações no cardápio visam atender um público exigente, e que demanda produtos de qualidade. Para o futuro, ela revela: a expansão de mais lojas será muito em breve.
Eudoro Berlink, 52

Batik

Abriu, também em 2019, um pub focado em elementos da sorte. De junho para cá, segundo Gilmar Moraes, o Batik apresentou crescimento. "Estivemos em uma evolução bem considerável. Estamos prospectando cada vez mais novos clientes e criando projetos para o verão." Na questão gastronômica, houve mudanças significativas. "Hoje, não temos um chef de cozinha, trabalhamos mais focados em comida de bar, balada, petisco, e três pratos mais elaborados, que são Picanha na Tábua, Entrecot Batik e Frango Marinado. Queremos ter uma proposta bacana no almoço também."
Padre Chagas, 342
 

Vivenda Portuguesa

Resgatar o público que ficou na serra gaúcha foi o ponto alto do ano do Vivenda Portuguesa. Mesmo encerrando a operação do restaurante lusitano no Centro Histórico da Capital há dois meses, a empresária Salete Costa afirma que o fechamento facilitou na fidelização dos clientes na nova casa.
"Com a matéria do caderno, as pessoas acabaram me reconhecendo de Gramado. Antes, eu servia 10 pratos por dia. Hoje, já são 20 a 30", complementa.
A casa lota com as apresentações ao vivo de fado, todas as sextas-feiras. Salete projeta aumentar o número desses shows por semana, para tornar a procura pelo Vivenda cada vez maior.
Mesmo com uma visão cética sobre o futuro do mercado da gastronomia, a empresária sonha em abrir o segundo andar do imóvel, para oferecer mais mesas à clientela e promover, ainda mais, esse pedacinho de Portugal em Porto Alegre.
Visconde do Rio Branco, nº 721

E!Sucos - Franquia Centro Histórico

Alimentação saudável na parte boêmia do Centro Histórico. Carlos Alberto Ribeiro, sócio-operador da loja, afirma que tudo está acontecendo como o planejado. "Mês após mês, a casa bate a meta e abre ela novamente. Estamos correndo atrás do prejuízo do inverno, momento que tem menos a ver com o nosso negócio do que os períodos de calor." A repercussão da visita do GE, inclusive, ajudou na visibilidade. "Instigou a curiosidade de muita gente. É legal quando entram e dizem que leram nossa história", afirma Carlos. Sobre os próximos passos, ele é cauteloso, mas crê em bons dias. "É importante pensar no agora, focar no atendimento, consolidar o que temos. Mas, obviamente, esperamos alçar vôos maiores em 2020."
Andradas, 665

Titia Avó Maria Coxinha

A franquia Titia Avó Maria Coxinha chegou a Porto Alegre para mostrar que coxinha pode ser um produto de desejo. De acordo com o proprietário Ildo Meyer, o negócio teve um "boom".
"As pessoas e outros veículos de imprensa vieram procurar a partir da matéria", revela. Assim como o aumento do faturamento, o cardápio cresce a cada mês, recebendo novidades e adaptando os pratos. "A coxinha que mais sai é a de frango. Quem não conhece a casa pede essa e, depois, prova outros sabores", comenta. A mais nova pedida é a Petit Coxinha, opção doce que vai acompanhada com uma bola de sorvete. Essas mudanças visam atender o público porto-alegrense conforme a sua demanda, afirma o sócio.
"Vemos um aumento muito forte do público vegano e daqueles que procuram locais pet friendly", diz. A franquia, natural de Florianópolis, é a única na Capital. Pelo menos, por enquanto. "Se em Floripa cabe 10, em Porto Alegre também cabe", frisa Ildo, sem dar muitos detalhes da projeção do futuro, mas garantindo que vem coisa boa por aí em 2020.
Quintino Bocaiúva, nº 310

Forcaffé

Do desejo de lançar uma unidade da Starbucks em Porto Alegre, surgiu o Forcaffé. A sócia Silvia Fiorentin Formenton diz que 2019 foi um ano especial e que, em breve, os clientes serão surpreendidos com novidades. A proposta é abrir uma versão pocket do Forcaffé, dentro de um contêiner, em um supermercado na cidade de Canoas, administrado por ela e seu marido. "Mas não pensamos em abrir franquias. Temos que focar no padrão ainda", pontua. Mesmo com a crise econômica, o negócio manteve as expectativas de faturamento projetadas pelos sócios. Na opinião de Silvia, "para se destacar nesse mercado, tem que fazer bem feito."
Vigário José Inácio, nº 245
 

Polentake

A Polentake se propõe a ser um fast food de polenta. Há outras opções de comida típica da serra gaúcha no local, mas o carro chefe, inevitavelmente, é ela. Isabelle Faggion, empreendedora da marca, conta que tem o hábito de perguntar como a clientela fica sabendo do negócio. "Após a matéria do GE, muitas pessoas disseram que tinham ido porque tinham conhecido minha história. Outros veículos de comunicação já me procuraram também", afirma. Isabelle conta, também, que já iniciou conversas com o Grupo Zaffari para expandir a Polentake para algum centro comercial da empresa.
24 de Outubro, nº 1.632
 

El Gordito

A padaria conhecida por apostar em pães de fermentação natural El Gordito exala aquele cheirinho de cidade do interior pela vizinhança do bairro Menino Deus diariamente. A matéria do GeraçãoE os tornou ainda mais conhecidos neste primeiro ano.
Para 2020, há um clima de apreensão, em razão do cenário econômico do País. "Para nós da El Gordito e para outros empresários que temos contato, este ano foi bastante ruim. Por isso, torcemos por uma melhora. De nossa parte, estamos focando em produtos artesanais diferenciados, mantendo nossa qualidade e incrementando as iniciativas de marketing", detalham a sócia Nara Monti.
Barão do Guaíba, nº 460
 

Baixo Barra

O Baixo Barra, novo espaço de gastronomia do BarraShoppingSul, deu um up nas opções de alimentação para os moradores da Zona Sul. Entre as novidades, estão os doces de alta gastronomia, com a butique de chocolates da marca suíça Lindt e da Bacio di Latte, referência em gelato tipo italiano. O Naked Experience, espaço com culinária saudável e prática, também já está em funcionamento. A lista de espaços inaugurados engloba, ainda, a Grand Cru, maior cadeia de lojas de vinhos de importação exclusiva, que conta também com o restaurante UM Bar & Cozinha, comandado pelo chef Carlos Kristensen. A Tartuferia San Paolo, com pratos criados à base de trufa, a charcutaria Brava Gastrobar e, mais recentemente, o Pobre Juan, uma das mais conceituadas casas de carnes do Brasil, também já iniciaram suas atividades. Em breve o Baixo Barra deve contar com a Pizza Mood, a Mercearia Bresser, o Daimu e o Fogo Gastronomia Contemporânea.
BarraShoppingSul

Wills Bar

Arthur Venzon, um dos sócios responsáveis pelo Wills Bar, conta que a o estabelecimento vive uma fase de consolidação. "O público que atendemos se mostra fiel e, principalmente plural, o que sempre foi um elemento essencial para nós".
Nova York, nº 52
 

Pizzaria HectorEscola de Magia

Locais temáticos em Gramado dão uma tônica especial à cidade. A pizzaria Hector-Escola de Magia passou a integrar esse cenário. Valdemir Ecker, um dos empresários que comandam o restaurante, conta sobre o começo do projeto.
"O início é um pouco demorado, como todo negócio, desde volume de vendas até o afinamento da qualidade dos serviços de forma geral. Sentimos que o grau de satisfação dos clientes, depois de um mês, no entanto, é muito elevado".
A matéria do GE gerou um acréscimo na procura, segundo ele.
Borges de Medeiros, nº 1.791, Gramado

Sr. Gabo

A Sr. Gabo nasceu com o intuito de ser um local "para se demorar". Inspirada no escritor colombiano Gabriel García Márquez, a cafeteria abriu e ganhou bastante visibilidade depois que apareceu no GE, segundo um dos sócios do empreendimento, Antonio Gianichini. "A matéria repercutiu bem. Recebi contatos da Espanha, da Argentina e da Colômbia. Dois colombianos de Barranquilla, terra do Gabriel, estiveram aqui, inclusive. Estamos planejando, para 2020, um crescimento de 15% a 20% por mês até março e, por mais que a economia esteja a passos lentos, queremos nos consolidar. Há escritores querendo fazer lançamentos de suas obras aqui. É uma referência para os autores emergentes. O espaço é para isso, mesmo."
General Câmara, nº 451

Cedinho Café

Para quem gosta de realidade misturada com fantasia, surgiu o Cedinho Café. Inspirado no universo de Alice no País das Maravilhas, o empreendimento tocado pelas sócias Paula Brum e Naiá Mânica registra crescimento constante desde sua inauguração, segundo as empreendedoras. Paula cita que a matéria do GE deu um bom retorno nas mídias sociais. "A Naiá disse que recebeu muitas mensagens, que elogiaram muito o vídeo. Guardamos com carinho a nossa primeira reportagem", afirma Paula. Para 2020 a meta é manter o crescimento, adicionar opções de drinks ao cardápio (que ainda está em desenvolvimento porque o café se mantém em fase de soft opening) e abrir a parte de cima da casa para receber eventos.
Comendador Batista, nº 5

OZ Australian Pie

A tradicional torta de carne australiana chegou ao Centro Histórico através do OZ Australian Pie. Jackson Tibolla, ex-jogador de futebol, é um dos sócios do local e cita um "crescimento controlado até que se tenha uma adequação completa à demanda". Para 2020, o OZ planeja um pacote de mudanças baseado no feedback que os clientes passam durante o período de soft opening, que ainda está em atividade. Sobre a matéria do GE, Jackson afirma um crescimento em torno de 12% nas vendas e nas redes.
General Câmara, nº 451
 

Luka Pumes e Vitorya Paulo 

Receba matérias deste autor

Luka Pumes e Vitorya Paulo 

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário