Kelen (à esquerda) produz os cremes, que têm muita saída no frio Kelen (à esquerda) produz os cremes, que têm muita saída no frio Foto: /LUIZA PRADO/JC

Porto Alegre preparada para o inverno

Onde encontrar pratos da estação na capital gaúcha

Sopa, fondue e uma mesa farta de café colonial caem bem em qualquer estação, mas é no inverno mesmo que o trio faz sucesso. A Sopa das Gurias, que vende sopas por encomenda, por exemplo, registra cinco vezes mais pedidos no frio. O negócio, comandado por Kelen Nascimento - que inclusive já foi matéria do GeraçãoE em 2016 -, teve um investimento inicial de menos de R$ 200,00. Na época da entrevista, a empreendedora dirigia também um bistrô.
Hoje, após fechar o restaurante, atua somente com entregas agendadas. "Quis muito a maternidade e percebi que não conseguiria lidar com tudo", relata. Kelen garante que a mudança de foco, decidida a partir da chegada de Lis Maria, de um ano e sete meses, foi a melhor escolha que poderia ter feito, mesmo com a redução de ritmo na Sopa. 
"Às vezes, tu pensas que vais dar um passo para trás e será ruim. Pelo contrário. Temos mais qualidade de vida e nos produtos. Eliminar o espaço físico foi essencial para os nossos clientes", comenta.
Agora em novo formato, quando a temperatura está baixa, a média de saída é de 150 unidades por dia. Embora os lucros aumentem à medida que a temperatura cai, Kelen ressalta que recebe encomendas o ano inteiro, além de trabalhar com eventos.
"Há semanas que a agenda fica toda preenchida", comemora. São 27 sabores de sopas, feitas somente com legumes, sendo o carro-chefe a de creme de moranga. O preço varia entre R$ 15,00 e R$ 30,00, e a marca usa embalagens retornáveis de 450 ml. Os pedidos devem ser feitos direto com a Sopa das Gurias no Facebook.
Além disso, Kelen aposta em parcerias, o que gera aproximação com a clientela que busca experiências sem que ela seja responsável pela administração de um ponto comercial. Uma dessas apostas foi firmada com o recém-inaugurado Startt&Brothers Café, na rua Eudoro Berlink, nº 520, em Porto Alegre.
No endereço, são servidos quatro sabores de sopa dentro do pão italiano. Entre eles, um exclusivo do local, o de creme de queijo, que também é o que tem mais saída. Um quinto sabor, detox, está no cardápio e agrada quem quer manter a dieta até mesmo no inverno.
LUIZA PRADO/JC
Essa relação profissional, explica Kelen, teve início quando ela foi contatada por uma das sócias do café, a digital influencer Bruna Startt. "Cheguei aqui e me apaixonei. Se tivesse que abrir um lugar assim em Porto Alegre, seria igual a esse", revela.
Bruna destaca que as sopas são fixas o ano inteiro. "Estávamos em busca de um diferencial, queríamos a sopa no pão como em Gramado. Aqui no Rio Grande do Sul, o clima é muito instável, nem sempre está aquele calorão, inclusive no verão", justifica. 
A Startt (que vem do sobrenome de Bruna) & Brothers (os outros sócios, os irmãos David e Hédio Klein) abre de terça a quinta-feira, das 10h às 19h30min, de sexta-feira a sábado, das 10h às 20h, e aos domingos, das 14h às 20h. Primeiro negócio dos três, o café carrega referências do exterior e tem quitutes como cookies, donuts, tortas e salgados orgânicos.
fotos LUIZA PRADO/JC
"Tudo foi feito por nós. Colocamos a mão na massa. Pensamos nos detalhes para ser aconchegante", acrescenta Bruna, formada em Direito. David, que é noivo de Bruna, é o chef da cozinha e vem da carreira da aviação. Hédio saiu de uma empresa de turismo. O objetivo do negócio, revelam os novos empresários, é criar mesmo uma marca, por isso vendem utensílios utilizados no café, como bules e canecas em porcelana personalizados.

Pizzaria aposta em fondue quando a temperatura cai

Lenira administra a Fornellone, na avenida Nova York, na Capital Lenira administra a Fornellone, na avenida Nova York, na Capital Foto: /MARIANA CARLESSO/JC
Embora sazonal, o fondue é tradição há 14 anos na Fornellone Restaurante & Pizzaria, na avenida Nova York, na Capital. A sócia Lenira Marques conta que o prato foi inserido no cardápio dois anos após a abertura do empreendimento, que ocorreu em 2003.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/07/11/206x137/1_mc100719_ge__27_-8782207.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5d27c6b28d076', 'cd_midia':8782207, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/07/11/mc100719_ge__27_-8782207.jpg', 'ds_midia': 'Fornellone Restaurante
GE', 'ds_midia_credi': 'MARIANA CARLESSO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Fornellone Restaurante
GE', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
"Por incrível que pareça, há uma queda na procura por pizza no inverno", argumenta. No Dia dos Namorados, ela contabiliza que 90% do público da casa opta pelas panelas de queijo e chocolate. "Quanto mais frio, melhor", sintetiza.
Lenira relata que houve uma tentativa de oferecer o prato também no verão, em 2017, mas não funcionou. "Geralmente, vem muito turista à procura nessa época. Mas nós dependemos da matéria-prima e explicamos que nem todos os molhos estão disponíveis, por causa da perecidade", admite.
MARIANA CARLESSO/JC
No Fornellone, a iguaria tipicamente europeia é servida em etapas. A primeira contempla os salgados, com queijo e acompanhamentos, como pães, goiabada e batatas assadas, além das carnes (frango, filé bovino, coração de galinha e filé suíno) e 18 molhos. A segunda é a dos doces, com chocolate preto, frutas da estação e pedacinhos de wafer.
O preço varia de R$ 69,90 (promoção das quartas-feiras para as mulheres) a R$ 112,90 (livre, com repetição). Lenira lembra que a marca Fornellone existe há 30 anos, mas era de outro proprietário. Ela conduz o negócio desde 2015, porém está na casa desde 2006, como funcionária.
"A transição foi legal, pois já fazia a parte administrativa." Para ambientar o inverno no restaurante, além do fondue, os clientes encontram lareira e cadeiras com pelegos. "É um clima de Serra, se mudarmos, perderemos o charme", enaltece a empreendedora. 

Um café colonial para se esquentar em plena metrópole

O Bela Vista Café Colonial funciona no Shopping Total O Bela Vista Café Colonial funciona no Shopping Total Foto: /LUIZA PRADO/JC
O ano de 1972, em Gramado, é marcado pelo surgimento do Festival de Cinema. Nessa data, foi aberto também o primeiro café colonial do Brasil, o Bela Vista Café Colonial. Desde 2016, o empreendimento mantém uma unidade em Porto Alegre, no Shopping Total. O ambiente foi todo restaurado e funciona de terça-feira a domingo, das 11h30min às 21h30min.
LUIZA PRADO/JC
De acordo com o gerente-geral da casa, Mateus Salles, o serviço na Capital tem algumas diferenças em relação ao da serra gaúcha. "Aqui, trabalhamos com o buffet e a mesa. No interior é só na mesa. Temos cinco itens a menos aqui", explica. Em Porto Alegre, o cliente paga R$ 49,90 o buffet ou R$ 68,00 se preferir à mesa.
LUIZA PRADO/JC
Mateus trabalha no negócio há três anos e participou de um treinamento intensivo em Gramado antes de começar. Ele garante que, no inverno, o movimento aumenta aproximadamente 40%. "Atendemos, em média, 100 pessoas por dia de semana, e, aos fins de semana, 350", relata. "Temos mais de 80 variedades, entre assados, grelhados, molhos, salgados, tortas, sobremesas e sorvetes." A família Caliari é quem administra a marca.
Excepcionalmente o Bela Vista Café Colonial em Porto Alegre estará fechado para público nesta quinta-feira (18), mas reabre na sexta-feira (19) normalmente. 
 
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio