Domenico participou de atividade na Pucrs, na Capital, recentemente Domenico participou de atividade na Pucrs, na Capital, recentemente Foto: /Mauren Motta/Arquivo Pessoal/JC

Sexo Inteligente

Já faz tempo que me preocupo com as questões femininas no nosso país. O Conexões RS - grupo que administro no Facebook e que dá nome à esta coluna - conta com mais de 110 mil mulheres empreendedoras e consumidoras, em busca de conteúdo, produtos e inovação. Isso me fez ter uma proximidade e um olhar ainda maior. Tenho orgulho de ser mulher, e quero que juntas, cada vez mais, a gente faça a diferença. Mesmo sabendo que aqui no RS nós ganhamos 36,8% a menos os homens, dá para acreditar?
Já fora daqui, as novidades são mais animadoras. Na semana passada, dados sobre o número de artigos científicos publicados no Brasil indicavam que 72% deles são assinados por mulheres. Outros dados interessantes, apontados pelo incensado sociólogo italiano Domenico De Masi, em aula que ministrou no último sábado em Porto Alegre, no Pós-graduação Online/EAD em Educação Transformadora da Pucrs, revelam que 60% das mulheres terão curso de pós graduação e mestrado até 2030. Além disso, muitas mulheres casarão com homens mais jovens e outras tantas terão filhos sozinhas, isso significará que os homens ficarão em desvantagem, uma vez que nunca poderão ter filhos sozinhos. Por esta razão, as mulheres estarão no centro do sistema social e ficarão tentadas a gerenciar o poder com a dureza acumulada em 10 mil anos de injustiças. Estes dados foram extraídos de pesquisa coordenadas pelo professor De Masi, em países como China, Itália e Japão e são animadores para Girl Power!
Em tempos bicudos por aqui para especializações como a do brilhante professor De Masi - mestre em Sociologia do trabalho na Universidade de Roma e consultor de grandes corporações como IBM, Glaxo, Fiat entre outras -, saber que parte das pesquisas do autor do best seller O ócio Criativo giram em torno do sexo frágil é animador. Ao que tudo indica, nossa batalha pela igualdade vai valer a pena e a androgenia, segundo ele mesmo relatou, poderá se tornar um novo estilo de vida. Wow!

A robô Glória como aliada

A ferramenta foi criada na Universidade de Brasília A ferramenta foi criada na Universidade de Brasília Foto: /Gloria/Divulgação/JC
As redes sociais e a tecnologia estão aproximando as mulheres e dando ferramentas importantes na luta para equiparação de gênero, compartilhamento de ideias e nos auxiliando em questões delicadas, como abuso sexual. A Glória, por exemplo, é uma avatar recém-lançada, idealizada pela doutora Cristina Castro-Lucas, professora da Universidade de Brasília, que conseguiu unir cinco empresas em prol deste projeto de inteligência artificial e de extrema relevância. A Glória pretende impactar 20 milhões de pessoas pela internet, além de gerar relatórios com segmentação por faixa etária, local, dados socioeconômicos e padrão de ocorrências.
Me segue também lá no Instagram: @maurenmotta 
Compartilhe
Comentários ( 1 )
  1. https://www.drogaria24.com/lovegra

    Eu simplesmente amo essa informação. uma combinação de interessante e útil. super

Publicidade
Mostre seu Negócio