Patrícia Pontalti e Patrícia Parenza oferecem filtros de preços e gostos à clientela que usa a ferramenta Pati Patrícia Pontalti e Patrícia Parenza oferecem filtros de preços e gostos à clientela que usa a ferramenta Pati Foto: CLAITON DORNELLES /JC

Jornalistas criam plataforma que reúne e-commerces e dicas de moda

Ferramenta pode ser acessada de forma gratuita

Patricia Parenza e Patrícia Pontalti, que se identificam como Aspatricias, trabalham com moda há mais de duas décadas. Em 2006, a dupla lançou o site www.aspatricias.com.br, um dos primeiros a falar sobre o assunto no País. Agora, focam em um novo projeto: a plataforma Pati (www.oipati.com.br), que orienta as mulheres a se vestirem com elegância, reunindo múltiplos e-commerces em uma única ferramenta.
A ideia surgiu depois da experiência de mais de cinco anos como consultoras da loja virtual da Renner. "Nesse período, recebíamos perguntas e dúvidas de todo o Brasil. Por exemplo, 'sou baixinha, posso usar um longo?', 'tenho um casamento às 16h, com que roupa eu vou?'. Respondendo aos questionamentos, do Oiapoque ao Chuí, percebemos que há uma carência enorme", observa Pontalti. "Não importa a classe social, a profissão e o quão linda ela seja, toda mulher tem dúvida, insegurança. Só 4% se acha bonita", completa Parenza.
A Pati nasceu para ser uma plataforma que reúne vários serviços, como orientações sobre estilo, conteúdo e vitrines. Por ali, é possível acessar diretamente o site de 25 lojas parceiras da startup. "Aliamos o nosso conhecimento como jornalistas e consultoras à tecnologia e à venda, que é uma coisa que nunca tínhamos feito. Vamos vender, instruir e facilitar a vida da mulher, para que, num único lugar, ela encontre o look ideal para a ocasião especial, trabalho, casual, seja para o que for", explica a jornalista.
De acordo com as empreendedoras, a ferramenta está inserida em um cenário de crescimento do e-commerce. Pontalti avalia que as empresas que trabalham com comércio eletrônico estão, cada vez mais, antenadas a preocupações que podem deixar um consumidor receoso de comprar pela internet, tais como entrega e troca. Ela aponta o diferencial da Pati de um marketplace comum. "Quando a pessoa vai comprar on-line, o que ela não tem é o conselho. Alguém que diga que a peça vai ficar bem. Nós já apresentamos as vitrines direcionadas a esse desejo que a usuária tem", afirma.
Para a sociedade dar certo, as duas dividem as tarefas. Enquanto uma foca no conteúdo, a outra é negociadora. O empreendimento levou, ainda, as jornalistas a descobrirem e experimentarem novas tarefas. "Sempre trabalhamos com o nosso dinheiro. Agora, fazemos rodadas de negócio, é algo que não estávamos acostumadas, buscar dinheiro no mercado, com investidores", acrescenta Parenza. Segundo as consultoras de moda, a startup só foi possível com incentivo de um investidor anjo, o diretor da Melissa, Paulo Pedó. "Ele acreditou no nosso projeto desde o início e abre as portas para o que é sinônimo de sucesso", observam. Parenza revela que o próximo passo da startup, em março de 2019, será o lançamento de um serviço de assinatura, que promete um atendimento personalizado.
CLAITON DORNELLES /JC

Testamos a Pati

Ferramenta apresenta várias opções, de diversas marcas, sob curadoria das Aspatricias Ferramenta apresenta várias opções, de diversas marcas, sob curadoria das Aspatricias Foto: /REPRODUÇÃO/JC
Para quem tem medo de errar no look - seja para o dia a dia ou para uma ocasião especial - a Pati é uma grande aliada. Depois da entrevista com as meninas, decidi me cadastrar para contar a experiência para leitores e leitoras do GeraçãoE, e ainda por cima me beneficiar da curadoria das duas profissionais.
 A plataforma funciona de forma rápida e a robô Pati interage com a usuária. Foi possível escolher o nome ou o apelido como gostaria de ser chamada e depois preencher informações como idade, formato do corpo, estilos favoritos (com figuras ilustrativas, que ajudam a identifica-los), além de preferência de sapato (sem salto, com, ou uma mistura dos dois).
Vez ou outra a Pati comenta as opções marcadas. Quando assinalei o sapato sem salto, por exemplo, ela escreveu: "Conforto é fundamental e está sempre pertinho do estilo perfeito. Pode ter certeza!".
Há um campo com a faixa limite do que você quer - e pode - gastar em cada item (bolsa, sapato, peça única, etc).
Esse processo de conhecimento é ágil e em seguida fui direcionada à minha página personalizada e às vitrines.
Essas são separadas pelas seções trabalho, casual, balada e social, unindo várias marcas, o que torna a plataforma exclusiva.
Ou seja, dá para montar o look escolhendo uma blusa da Renner, uma saia da Le Lis Blanc e uma jaqueta da Amaro. Dali, você será direcionado para a página oficial da loja e poderá concluir a compra.
E se não gostou das primeiras opções da Pati, é só mudar a vitrine. Curti a experiência.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio