Juliano, em frente ao quadro feito de pó de café que faz sucesso no Tobias Juliano, em frente ao quadro feito de pó de café que faz sucesso no Tobias Foto: /FREDY VIEIRA/JC

Diversificação de produtos no mesmo local funciona?

Conversamos com quem aglomera produtos ou serviços em um só lugar para atrair mais público. Dá certo?

Quem pensa apenas em apreciar um café vai encontrar um conceito um pouco diferente no Tobias. Os empreendedores do novo bar-café em Porto Alegre criaram um universo que mescla a experiência gastronômica com a apreciação da arte. Antes mesmo de entrar no local, os clientes já são surpreendidos pela fachada colorida, em tons quentes e vivos, que dá uma pista do que se pode esperar nos três andares do Tobias que, como o próprio nome sugere, fica na rua Tobias da Silva, atrás do Moinhos Shopping, no bairro Moinhos de Vento.
A decoração interna foi arranjada para dar personalidade aos seus espaços temáticos internos, até porque o Tobias não se contenta em oferecer apenas o espaço da cafeteria. Há as salas de vinhos, de lazer, de sinuca, o grande salão e, ainda, o jardim na área externa.
Todos os ambientes seguem um estilo rústico e uma pegada retrô, com uma luz mais quente e a presença de vários objetos antigos.
"A ideia é que as pessoas tenham uma experiência única e se sintam em casa. É um lugar tão aconchegante que quem nos visita acaba ficando horas aqui", afirmou Juliano Dahm, um dos sócios. Muitos móveis e a pintura do pátio foram feitos pelos próprios sócios, artesanalmente.
FREDY VIEIRA/JC
O Tobias abriu em março deste ano, no mesmo local em que o trio Juliano, Pedro Valerim e Leonardo Ceresa mantinham um bar. Os sócios apostaram em uma mudança de proposta e não se contentaram em servir apenas o famoso cafezinho. Resolveram engatar também o almoço, o lanche da tarde e o happy hour a partir do fim da tarde. "Qualquer coisa que o cliente quiser do cardápio ele irá encontrar durante todo o dia. Trabalhamos sem parar da manhã até a noite, oferecendo uma variedade de opções gastronômicas", conta Juliano.
As possibilidades do cardápio vão desde lanches a pratos quentes, doces, drinks, vinhos e chopes. Assim, o novo negócio trouxe as habilidades dos três empreendedores. Juliano trabalha há anos na área de vinhos; Leonardo atua com cervejas; e Pedro sempre mandou muito bem na cozinha.
Para completar o cardápio de talentos, o trio descobriu que tinha algo em comum: eram apreciadores de café, que foi incluído no pacote. "Não queríamos nos limitar ao horário da noite, então enxergamos um horizonte de possibilidades. Esse cantinho tem um pouco de cada um de nós", conta, com orgulho, Juliano.
Mas nada disso seria possível se não fosse o trabalho duro de uma equipe, apontam os sócios. Além dos três gerentes, a cozinheira Nadja Romero e o barista e administrador Felipe Machado atuam no local.
"Trabalhamos como uma família e investimos muito no atendimento e na qualidade dos produtos, para que as pessoas que venham aqui se sintam acolhidas e com a certeza de que irão voltar", comenta.
Os empreendedores estão tão entusiasmados com o Tobias que já falam em levar o modelo ao exterior. A Alemanha poderia ser um destino, devido a afinidade dos sócio com o país e a cultura. Mas, por enquanto, o foco total é em Porto Alegre. "Temos a noção de que primeiro precisa funcionar muito bem aqui e, para isso, precisamos trabalhar firmes, enquanto temos energia. Hoje, dormimos três horas por dia, mas é a vida", conta Juliano, rindo.
FREDY VIEIRA/JC
Segundo Felipe, o movimento tem sido bom e aumenta a cada dia. "Acredito que isso tem acontecido em função do forte trabalho que estamos fazendo desde a inauguração, de oferecer produtos com qualidade e também opções orgânicas, um bom atendimento e um ambiente agradável", afirma o funcionário. O café-bar abre de segunda-feira a sábado, a partir das 10h. De segunda a quarta-feira, o Tobias funciona até as 19h, e sextas-feiras e sábados, até a meia-noite.
No segundo andar, onde estão a mesa de sinuca e a sala de lazer, chama a atenção um quadro que ocupa quase toda a parede e que foi feito com a técnica na qual a tinta é pó de café. A obra é do artista plástico Luís Paulo Stracioni, que fez a pintura especialmente para o Tobias. O cliente também encontra outras três obras nesse estilo pelos outros espaços. O funcionário Felipe Machado indicou o artista, que é seu amigo desde a infância. "Antes de ele vir aqui, ninguém levou fé. Só depois o pessoal viu que a ideia e o resultado eram realmente bacanas", conta Felipe.
Desde o ano passado, Luís Paulo vem produzindo a técnica com café e realizando trabalhos no País e no exterior. O artista, com 28 anos, conta que a ideia surgiu de um acidente enquanto pintava.
"Estava no meu estúdio pintando com aquarela e, sem querer, deixei cair meu café em cima da obra. Ficou aquela mancha e não quis pôr fora, pois achei interessante. Foi aí que pensei: por que não fazer de propósito?", recorda.
Foram necessários alguns testes até chegar no resultado final. Atualmente, todos os quadros são vendidos sob encomenda por valores que variam de acordo com a complexidade. Até o momento, a pintura com café só está presente no Tobias, o que deixa o artista muito feliz. "É uma satisfação ter obras minhas em um lugar de tantas possibilidades, onde o prazer e a arte se encontram", entende.

O hambúrguer que tomou conta do mercadinho

Jonathan e seus sócios misturavam loja com hamburgueria, mas mudaram Jonathan e seus sócios misturavam loja com hamburgueria, mas mudaram Foto: /MARCELO G. RIBEIRO/JC
O Markt 705, na rua Coronel Bordini, nº 705, em Porto Alegre, começou como uma loja de conveniência premium. A ideia de diversificação fazia parte do negócio, que usava a pequena cozinha, ao fundo das gôndolas de produtos, para preparar hambúrgueres. Do sucesso desse item gastronômico coadjuvante, a operação foi repensada, pois os empreendedores perceberam que precisavam de uma direção. Daí, o Markt 705 deu lugar ao Markt BBQ, colocando o lanche como protagonista. "Não funcionava mais a ideia de os clientes terem de comer hambúrguer no mercadinho", constata um dos donos, Jonathan Camara, 36 anos.
A experiência de Jonathan e seus sócios, Leandro Brunetto e Fabiele Vargas, mostra que nem sempre abrir tanto o leque é a melhor alternativa. Agora, toda a operação tem um alinhamento. "Hoje, apostamos em carnes assadas e defumadas longamente, na técnica low and slow", descreve ele. Essa característica permite que o Markt BBQ seja considerado um espaço onde se pode provar o típico churrasco norte-americano.
Só para a reforma de ampliação da cozinha, instalação de coifas e mobiliário foram quase R$ 100 mil. Nas várias fases do negócio, que funciona há três anos e meio, já foram investidos cerca de R$ 1,5 milhão.
Embora haja uma coerência e complementariedade entre um serviço e outro do Markt BBQ, a proposta de oferecer produtos que atendam a diferentes perfis de público ao longo do dia continua. A unidade abre das 10h às 23h30min, com opções de sanduíches, buffet de almoço, burgers, venda de molhos e uma estante para a comercialização de artigos para churrasco, com bonés e camisetas. Jonathan diz que a prática é comum nos Estados Unidos.
Um aprendizado, no entanto, está sendo aplicado: há horários específicos para cada coisa, a fim de evitar que alguns elementos do cardápio prejudiquem outros. Os sanduíches, por exemplo, não são servidos a qualquer hora. Tem que haver essas opções para reter clientes em horários que não são de pico, mas é preciso organização, considera Jonathan.
"A operação antiga serviu para nos ensinar. Era muito multiproduto. Tinha de tudo, mas não tinha foco no produto. Muita variedade. Agora, achamos um foco", compartilha o empresário. Para o futuro, a intenção é expandir o Markt BBQ para o interior do Estado.

Cinque: boas razões para conhecer

Novidade perto do Parcão agrega pizzaria, panificadora e outras coisas Novidade perto do Parcão agrega pizzaria, panificadora e outras coisas Foto: /FREDY VIEIRA/JC
Cinque é cinco em italiano. Facile, fácil na língua de um dos povos imigrantes mais populares do Rio Grande do Sul. Perchè (por que) os três sócios Fernando Petrucci Schütt, Christian Kunzler e Daniel Jeunehomme Nasi resolveram dar o nome tão singelo e, claro, charmoso só pela origem, para o novo espaço gastronômico que fica bem em frente ao Parcão, no coração do bairro Moinhos de Vento, que abriu em maio? Há cinco razões:
1. O sobrado, na rua Comendador Caminha, nº 358, onde a Cinque funciona era muito grande, cabia muito mais que uma especialidade.
2. São tantas coisas boas que remetem à Itália que o conceito teria de combinar algumas delas em um lugar só.
3. Era hora de trazer o milanesa, que Daniel provou em Milão, capital da região mais rica da Itália, e quis incorporar ao paladar porto-alegrense.
4. Vinhos, mesinhas, cadeiras ao ar livre e sob o sol (que até poderia ser da Toscana), quando der.
5. Vontade de investir o dinheiro em um negócio que faça a diferença.
Pizzaria, milanesa, panificadora, confeitaria e wine garden traduzem a Cinque. Para quem ainda diz que não sabe o que é, os sócios avisam que, em breve, colocarão na fachada uma placa com os cinco atrativos do lugar. 
Logo na entrada do sobrado com dois pisos, o balcão separa mesinhas da área do forno e da cozinha. Ali, são montadas as pizzas seguindo o estilo napolitano, pois abre-se a massa com a mão. "E aqui não tem a história do 'finito'", garante Fernando. Finito significa fim, término, da massa, que costuma ocorrer em muitas pizzerias que seguem o estilo. "Preparamos massa para dar conta dos pedidos", diz o sócio, com formação em fisioterapia e que trocou a sociedade em uma consultoria de energia pelo negócio. No segundo andar, o ambiente com pufes, sofás e mesas atrai quem quer falar de trabalho ou relaxar. Experimente pedir uma pizza zucchini e curtir a vista do Parcão. É só uma sugestão. A casa funciona das 7h30min às 23h. Andiamo!
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Mostre seu Negócio