Jaqueline Augé é coordenadora de expansão da Usaflex Jaqueline Augé é coordenadora de expansão da Usaflex Foto: /USAFLEX/DIVULGAÇÃO/JC

Usaflex flexibiliza modelos de franquia

A marca gaúcha lançou recentemente o modelo premium e o light, que visam públicos distintos

A proposta da Usaflex sempre foi priorizar o conforto em seus calçados. Nos últimos anos, no entanto, a fabricante de Igrejinha, no interior do Rio Grande do Sul, agregou às peças referências de moda. Produzindo calçados desde 1988, a marca iniciou o seu processo de franchising em 2016. Com uma produção diária em torno de 25 mil pares, a rede tem hoje mais de 170 franquias espalhadas pelo Brasil, além de estar presente em multimarcas e lojas digitais. O prognóstico da Usaflex é fechar o ano com 200 unidades. Jaqueline Augé, coordenadora de expansão da empresa, conta que um dos objetivos da grife é diversificar o seu público, atingindo jovens e também diferentes classes sociais por meio das franquias. Veja trechos da entrevista:
GeraçãoE - Quais os modelos de franquia da Usaflex atualmente?
Jaqueline Augé - Trabalhamos com três modelos de franquia. Tem o conceito Premium, que foi criado no ano passado para entrar em shoppings de posicionamento triple A e ruas com potencial de consumo para clientes acima de A. Há uma única operação dessa no Rio Design Barra, no Rio de Janeiro. Esse projeto vai ter, no máximo, 10 operações e já sabemos quais são os lugares que ele pode ser posicionado hoje. O conceito Standard, que é a maioria das lojas que temos no País, foi o primeiro projeto criado. Depois, entramos com o conceito de loja Light, inaugurado em março deste ano. São lojas que vão faturar até R$ 100 mil e são instaladas em cidades de até 150 mil habitantes. Já existe em São Paulo, por exemplo, então não é exclusivo de interior, mas tem que faturar até R$ 100 mil. Quando a gente faz o estudo de viabilidade da operação, conseguimos enxergar qual vai ser o perfil da loja.
GE - Por que modelos antagônicos de franquia, como o premium e light?
Jaqueline - Resolvemos criar o conceito Premium para entrar no Rio Design Barra. O nosso projeto no Rio de Janeiro já é extremamente conhecido, mas a gente queria atingir aquela consumidora que talvez não enxergava a marca em um shopping que ela gosta de estar. É muito mais pelo conceito arquitetônico diferenciado, para trazer esse posicionamento de que nós também vendemos produto para esse tipo de cliente. Não somos só um produto de conforto da senhora ou do público B. Nosso grande volume é do público B, mas trabalhamos todas as classes, de A a D. 
GE - A Usaflex está mudando o seu público-alvo?
Jaqueline - É uma tendência de consumo buscar pelo conforto. Além da senhora, que já é a nossa cliente, que é para quem a gente começou a fazer o trabalho de produto há 20 anos, a gente sente o público jovem em busca de conforto também. Para atingir esse público, a única coisa que faltava era colocar moda na peça e criar um conceito de loja que fosse atrativo para esse perfil. Então, a franquia veio muito para conseguir reposicionar a marca para um público mais jovem, mostrando o produto que a gente faz. Trouxemos toda essa pegada de moda para os nossos produtos sem abandonar o conforto. É o caminho inverso das outras marcas, que já são grifes de moda e que tentam agregar o conforto. Tem funcionado muito bem e o nosso objetivo é atingir a mulher dos 30 em diante.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Texto relacionados
Mostre seu Negócio