Thiago Torres de Ávila é neurocirurgião e um dos sócios da Ineuro, que expandiu, neste ano, para Porto Alegre Thiago Torres de Ávila é neurocirurgião e um dos sócios da Ineuro, que expandiu, neste ano, para Porto Alegre Foto: /MARIANA ZARTH/DIVULGAÇÃO/JC

Inovação na área médica pode ser desafio

Embora a demanda seja grande no Brasil, empreender na área da saúde tem suas especificidades. "São tantas regras que inovar na forma de atender é um desafio enorme", argumenta o neurocirurgião Thiago Torres de Ávila na entrevista abaixo. Ele é um dos sócios da clínica neurológica Ineuro, criada em Gravataí em 2010 e que, neste ano, chegou a Porto Alegre, na rua 24 de Outubro. Nesta conversa, o profissional fala sobre o negócio e o mercado.
GeraçãoE - Quais os desafios de empreender na área da saúde?
Thiago Torres de Ávila - São os mesmos que qualquer outro empreendedor encontra no Brasil, mas, na área da saúde, são muito mais evidentes: burocracia e excesso de regulamentações. São tantas regras que inovar na forma de atender é um desafio enorme.
GE - Começar em uma cidade menor, como Gravataí, e depois expandir para Porto Alegre é uma vantagem?
Thiago - Posso afirmar com segurança que sim. Começamos o nosso projeto em um mercado menos disputado, no qual tivemos oportunidade de aprender muito, principalmente sobre questões administrativas e financeiras. Esses temas não são abordados na faculdade de Medicina, e a maioria dos médicos acaba tendo que descobrir na prática como um negócio funciona. Se estivéssemos em um mercado mais disputado, provavelmente teríamos tido muitas dificuldades para manter a clínica aberta.
GE - O que é necessário para uma clínica deslanchar?
Thiago - Basicamente, duas coisas: pacientes e uma boa administração. Claro que uma coisa depende da outra, mas já vi muitas clínicas cheias de pacientes fechando por serem mal administradas.
GE - Como está o mercado de neurologia?
Thiago - Saturado, não só em quantidade, mas também de bons profissionais. Só em Gravataí, por exemplo, a Ineuro teria a capacidade de atender à demanda de 125% dos pacientes que são o nosso público-alvo, e ainda há outros colegas neurologistas na cidade. Em Porto Alegre, a situação é ainda mais desafiadora, pois há muito mais neurologistas.
GE - De que forma a tecnologia se desenvolveu nesse setor e ajuda no dia a dia?
Thiago - Principalmente na área da TI. O que se produz em um consultório médico é, em grande parte, informação. E a possibilidade de ter acesso rápido a essa informação em qualquer momento do dia, em qualquer lugar, nos facilita muito. Seja no consultório ou no tratamento dos pacientes internados.
GE - Qual o diferencial da Ineuro?
Thiago - Se fosse para escolher um diferencial, resumir em um único ponto, diria que é a qualificação da equipe. Começando pelas nossas auxiliares administrativas até os médicos. Estamos sempre buscando treinamento para melhor atender nossos pacientes, oferecer a melhor experiência possível, aprendendo novas técnicas cirúrgicas. Para 2019, já estamos planejando um novo momento para as nossas clínicas, começando por uma integração melhor entre a equipe da Ineuro com a comunidade que atendemos. Além disso, queremos começar a melhorar não só o atendimento médico, mas também a experiência do paciente em todo o momento do contato com a clínica.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio