Entrevista com donos do Brava, restaurante de tábuas de queijos e charcutaria João Cláudio e João Paulo lançaram uma tábua de frios tropical Foto: MARIANA CARLESSO/JC

Mudança no cardápio para manter a clientela

O Brava Gastrobar apostou em alimentos mais refrescantes para o verão

Esse será o primeiro verão de funcionamento do Brava Gastrobar, aberto em Porto Alegre em abril. Contrariando as expectativas dos sócios João Cláudio von Frankenberg, 34 anos, e João Paulo Ely, 32, o movimento não caiu na medida em que as temperaturas começaram a aumentar. Mesmo assim, a dupla se preparou para a estação.
Como o negócio é focado em tábuas de frios, vinhos e espumantes, a dupla acreditava que o inverno seria o "mês quente" deles. Por isso mesmo, pensaram em estratégias para manter o público cativo.
Uma das ideias foi incorporar no cardápio uma tábua tropical, com queijos e frutas, que custa R$ 86,00 e serve duas pessoas. Além disso, o vinho tinto foi substituído pelo branco e espumantes rosé nas harmonizações. "É preciso atuar de forma antecipada para algumas coisas", justifica João Cláudio, sobre alinhar a empresa conforme a época do ano.
MARIANA CARLESSO/JC
João Paulo reforça que há mais saladas também, tudo para deixar o Brava com a cara do verão. Desde a inauguração, o empreendimento cresceu cerca de 40%, muito calcado na organização, conforme a dupla. "Temos um procedimento padrão para tudo, como se fosse uma franquia", aponta João Paulo, reforçando que a qualidade dos produtos deve ser igual para quem frequenta o estabelecimento, seja no inverno ou no verão.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio