Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

21/05/2018 - 22h39min. Alterada em 21/05 às 21h21min

Crimes no comércio precisam delegacias

Fernando Soares
Após diversas reuniões realizadas nos últimos meses com comerciantes de Porto Alegre e de cidades da Região Metropolitana, como Canoas, Esteio, Guaíba, Eldorado do Sul, Sapucaia do Sul, São Leopoldo e Novo Hamburgo, passei a defender a criação de delegacias de polícia especializadas para investigar roubos e latrocínios contra pequenos e médios estabelecimentos comerciais. Acredito que essas delegacias deveriam ser criadas e instaladas pelo menos nas 20 cidades mais violentas do Estado, tendo em vista as inúmeras queixas dos comerciantes das regiões.
As reclamações são parecidas, pois todos estão preocupados com a falta de segurança e com o aumento dos crimes de roubos e furtos nos comércios e a seus funcionários. Muitos comerciantes afirmam que, mesmo contribuindo com a geração de emprego e renda, sentem-se abandonados pelo Estado e pelos órgãos de segurança pública. Isso porque a maioria dos casos registrados sequer é investigada.
É de extrema importância a criação de delegacias de polícia especializadas para investigar os crimes contra o patrimônio dos pequenos e médios comerciantes gaúchos. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, somente em 2017, ocorreram 12.848 casos de furtos e roubos em estabelecimentos comerciais no Rio Grande do Sul. Não podemos deixar esse importante segmento social, que movimenta a economia do nosso Estado, sem atendimento. Não é aceitável que esses graves crimes fiquem parados na maioria dos distritos policiais, apesar de haver um grande esforço dos policiais e da instituição em tentar resolvê-los.
Mesmo com o excelente trabalho que a Polícia Civil vem realizando nos últimos anos, inclusive com um grande aumento no número de prisões, ainda assim, precisamos, cada vez mais, especializar nossas ações com inteligência e investigação especializada para tirar de circulação esses perigosos e reincidentes criminosos.
Titular da 17ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Fernando Soares 22/05/2018 14h05min
Concordo contigo, Cel. Jorge Bengochea. Eu sou defensor da revisão da nossa atual legislação penal, mas como sabemos, essa é uma esfera federal. A ideia das delegacias especializadas vem em caráter de urgência para suprir uma demanda da população gaúcha e de um segmento responsável por gerar emprego e renda. Mas repito, concordo contigo. Precisamos de leis mais severas e penas mais duras contra a bandidagem! Um grande abraço!
Jorge Bengochea 22/05/2018 11h11min
OS CRIMES COMETIDOS CONTRA PEQUENOS COMERCIANTES OCORREM PORQUE NÃO DÁ NADA PARA OS BANDIDOS. A polícia prende e em seguida eles estão de volta para aterrorizar comerciantes e clientes. Não são as delegacias que vão conter o crime, mas leis e justiça severas e capazes de impor penas duras aos bandidos, bem uma execução penal responsável e rigorosa, sem licenciosidade.