Karen, apaixonada por cozinha e decoração, promove festas intimistas Karen, apaixonada por cozinha e decoração, promove festas intimistas Foto: MARCELO G. RIBEIRO/JC

Advogada abre as portas da própria casa para reduzir custos de manutenção

A casa grande demais e cara para manter virou negócio. E, de quebra, a família toda pega junto na realização de eventos. Veja como você pode fazer o mesmo na sua

A advogada Karen Muliterno, 45 anos, tem uma casa de novela na zona Sul de Porto Alegre. São 600 m² para ela e os três filhos. Rodeada de árvores, a residência gera muita manutenção. "É impagável. Só a conta de luz dá quase R$ 1 mil. O telhado precisa de constante cuidado", justifica ela, que vive no local desde 2007. Por isso, desde o ano passado, abriu as portas para receber amigos e conhecidos que desejam fazer celebrações com um ar intimista.
O público pode circular pelas áreas sociais, e os sete quartos ficam reservados para a família. Nos dias de festas, no entanto, todo mundo se envolve. Os filhos de Karen fazem as vezes de ajudantes de garçons e recepcionistas.
GeraçãoE.   Entrevista com Karen Miluterno, que transformou a casa dela em espaço de eventos.
Áreas sociais abertas a eventos | Foto: MARCELO G. RIBEIRO/JC
Karen adora cozinha e decoração, atributo que encanta quem chega à Casa Amarela, como chama o espaço (comprado junto com o ex-marido). O atual companheiro dela, Eduardo Amarilla, agrega outro atrativo: uruguaio, adora fazer a parrilla típica de seu país nos dias de comemorações.
"Não é uma casa comercial, nem é disso que vivo", destaca a advogada, que dá aulas em cursos de pós-graduação da Capital, tem um escritório de advocacia e ainda toca uma pousada e restaurante ao lado de Eduardo em Punta del Diablo, no Uruguai. É lá, inclusive, que deseja morar caso um dia venda a casa, no bairro Espírito Santo.
Para deixar o ambiente mais apropriado para as festas, Karen teve de tirar alguns móveis. Desde que abriu as portas, já fez cerca de 10 eventos, inclusive um casamento. O preço de um aniversário de criança para 50 convidados na Casa Amarela fica na média de R$ 7 mil. Contatos pelo WhatsApp (51) 99874-6063.
GeraçãoE.   Entrevista com Karen Miluterno, que transformou a casa dela em espaço de eventos.
GeraçãoE.   Entrevista com Karen Miluterno, que transformou a casa dela em espaço de eventos.

Como fazer o mesmo na minha casa?

Para quem se inspirou com a história da Karen Muliterno (acima) ou de Claus e Vanessa, a técnica de Atendimento do SEBRAE/RS Kelly Duarte Carvalho, explica como poder transformar espaços próprios em negócio. O primeiro passo para qualquer atividade comercial é realizar consulta de viabilidade na Prefeitura Municipal para verificar se a atividade pretendida pode ser realizada no endereço escolhido, afirma ela. Feita essa consulta, o empreendedor que deseja investir nesse ramo deve estar atento ao diferencial, isso requer pesquisas buscando identificar o que fazem as pessoas procurarem um espaço para alugar, relacionando as principais questões, como: tamanho, serviços oferecidos, piscina, churrasqueira, iluminação, som, etc.
 
Para qualquer ramo de atuação, é fundamental iniciar pelo planejamento, pois errar no papel é muito melhor do que errar no mercado. Se planejar é uma das etapas mais importantes para o empreendedor e pode definir o sucesso de sua empresa. Com o plano em mãos, o empreendedor se antecipa aos possíveis erros e passa a conhecer os pontos fracos e fortes do seu negócio. O plano de negócios é o documento que vai descrever os objetivos do seu negócio e quais caminhos devem ser seguidos para alcançá-los, diminuindo riscos e incertezas. Esse planejamento vai demonstrar se o seu negócio é viável ou não.
 
Esse tipo de negócio é muito procurado para festas de aniversários, festas de empresas, formaturas, bodas, casamentos, entre outros. Uma característica desse tipo de negócio é que pode ser contratado com bastante antecedência, onde o empreendedor pode se planejar melhor, pois vai trabalhar com eventos agendados. Uma casa de festas já estruturada pode realizar entre 90 até 220 eventos por ano.
 
Algumas dicas:
 
 >> Definir o perfil do negócio e do público que irá atender;
>> A localização do espaço deve ser pensada, se você tem um espaço em sua residência e que comporte esses tipos de eventos, a ideia de alugar o espaço é boa. Muitos empreendedores começam assim e com o tempo alugam ou compram um espaço maior. Além disso, a depender do público que irá atuar, a questão de volume de som e barulho são fatores críticos e que devem ser observados de acordo com a legislação vigente;
>> Estudar formas de adaptar o seu espaço para que comporte todo o tipo de evento. Disponibilizando uma área reservada para a apresentação do evento, pista de dança, banheiros, cozinha, espaço para as crianças e ambiente descoberto para os fumantes;
>> O empreendedor pode ofertar pacotes diferenciados que incluem buffet, equipamentos de som e iluminação, decoração, freezer, fogão, geladeira, etc., ou só disponibilizar o espaço para o cliente;
>> Toda locação de espaço é feita com a assinatura de contrato;
>> As formas de pagamento variam, mas geralmente é realizado em duas parcelas, sendo um sinal para a assinatura do contrato e agendamento da data e depois no dia do evento o restante;
>> Ter uma boa relação de fornecedores que podem agregar valor ao seu negócio;
>> Troque experiências, procure por empreendedores em regiões diferentes da que você vai atuar e que possuam experiência no ramo. Busque exemplos, aprenda com o sucesso deles e procure conhecer os desafios da área.
 
Em linhas gerais, para abrir uma empresa, o empreendedor poderá ter seu registro de forma individual ou em um dos enquadramentos jurídicos de sociedade. Ele deverá avaliar as opções que melhor atendem suas expectativas e o perfil do negócio pretendido. O contador, profissional legalmente habilitado para elaborar os atos constitutivos da empresa e conhecedor da legislação tributária, poderá auxiliar o empreendedor neste processo.
 
Para abertura e registro da empresa é necessário realizar os seguintes procedimentos:
 
· Registro na Junta Comercial;
 
· Registro na Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
 
· Registro na prefeitura municipal, para obter o alvará de funcionamento;
 
· Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”;
 
· Registro no Corpo de Bombeiros Militar: órgão que verifica se a empresa atende as exigências mínimas de segurança e de proteção contra incêndio, para que seja concedido o “Habite-se” pela prefeitura.
 
Importante:
· Para a instalação do negócio é necessário realizar consulta prévia de endereço na Prefeitura Municipal/Administração Regional, sobre a Lei de Zoneamento;
 
· É necessário observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC);
 
· A Lei 123/2006 (Estatuto da Micro e Pequena Empresa) e suas alterações estabelecem o tratamento diferenciado e simplificado para micro e pequenas empresas. Isso confere vantagens aos empreendedores, inclusive quanto à redução ou isenção das taxas de registros, licenças etc;
 
· O empreendedor deverá desenvolver pesquisa sobre a legislação estadual e municipal, visando adequar-se às exigências legais locais e regionais. Para a realização da pesquisa ele deve ter a decisão sobre o dimensionamento do negócio, ou seja, o que será oferecido ao mercado.
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio