Diogo participará de uma missão da Startse Diogo participará de uma missão da Startse Foto: CLAITON DORNELLES/JC

Ex-dono da Imóvel Class vai ao Vale do Silício

Diogo Schroeder Horn, 36 anos, foi dono do grupo Imóvel Class - plataforma de mídias e eventos do mercado imobiliário do Rio Grande do Sul -, vendido (por uma quantia não revelada), no ano passado, à Navent, maior conglomerado de portais de empregos e imóveis da América Latina, sediado na Argentina.
Depois de um período sabático, com viagens ao Rio de Janeiro, Chile, Miami e El Salvador, ele começa 2017 com duas atividades que representam sua retomada no empreendedorismo. De 21 de janeiro a 5 de fevereiro, participará da Missão ao Vale do Silício, promovida pela empresa Startse, referência em ecossistemas de startups do Brasil.
Diogo também assumiu, recentemente, como cogestor da entidade de fomento ao investimento-anjo Anjos do Brasil no Estado. Nesta entrevista, ele fala sobre ambas experiências.
GeraçãoE - Como será a missão ao Vale do Silício?
Diogo Horn - A ideia é visitar várias empresas, como Facebook, Uber e também ir a algumas palestras em universidades. É uma imersão de uma semana para conhecer o ecossistema empreendedor. Na semana seguinte, vou ficar por conta para continuar esse networking. São 12 vagas, gente do Brasil inteiro, e custa US$ 3,8 mil, cerca de R$ 12 mil, sem passagem e sem hospedagem. Mas acho que é um investimento que vale a pena.
GE - Como será sua volta ao empreendedorismo?
Diogo - Estou de olho em alguns negócios digitais mais na linha do e-commerce e investindo em duas startups. Deu saudade daquele gostinho de colocar a mão na massa.
GE - Fale sobre sua cogestão na Anjos do Brasil no Estado.
Diogo - Essa atividade é sem fins lucrativos. Nosso objetivo é estar em contato com diversas startups e empresas que sejam interessantes para investidores colocarem o seu dinheiro e, no futuro, terem bons ganhos. Já temos um grupo e queremos ampliá-lo.
GE - Qual a importância do investimento-anjo para empreendedores?
Diogo - É a maneira mais fácil, no começo, para as startups terem capital. Em vez de investir dinheiro próprio ou da família, que acontece muitas vezes, se tu tens um bom projeto, principalmente se já há um MVP (espécie de experimento), é um período muito interessante para um investidor entrar. Muitas vezes, não é só o capital que entra, mas o conhecimento e o relacionamento do anjo. Ele procura entrar em negócios que tenham sinergia, abrindo portas.

VOCÊ SABIA?

Investidores que fazem parte da Anjos do Brasil têm acesso a uma série de projetos de empreendedores. Eles precisam pagar uma mensalidade, que custa pouco mais de R$ 100,00. Já os empreendedores podem submeter seus projetos sem custos. Saiba mais em www.anjosdobrasil.net.
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio