A prateleira pode ser utilizada como mesa de canto, porta-revistas, sapateira, etc. A prateleira pode ser utilizada como mesa de canto, porta-revistas, sapateira, etc. Foto: NIÁGARA BRAGA /ESPECIAL/JC

Aprenda a fazer: Prateleira móvel de pallet

A peça pode ser vendida por mais que o dobro do valor de produção. Uma ótima opção para investir como renda extra

Pallets são estruturas utilizadas para transporte de objetos, mas que podem ser reaproveitadas de diversas formas utilizando a criatividade, e ainda, ajudando o meio ambiente através da reutilização da madeira. Neste GeraçãoEnsina, a We Pallet, empresa especializada em projetos de móveis com pallets reutilizados, irá nos ensinar a fazer uma prateleira móvel com o material. 
O móvel que ensinaremos pode ser utilizado como prateleira de chão, sapateira, mesinha móvel, etc. No tutorial, utilizaremos o caixote produzido pela We Pallet, que pode ser vendido através da página no Facebook, por cerca de R$ 60,00. Porém, quem preferir pode adquirir o caixote em outros locais, mas sempre atentando para a qualidade do material. Para quem desejar investir na técnica como negócio, a média de venda do móvel pronto é cerca de R$ 170,00, valor cobrado pela We Pallet.
O que precisa:
- Caixote de madeira;
- 2 pedaços de madeira para fazer a prateleira interna (deve medir, de forma que se encaixe no interior do móvel);
- 2 sarrafos (para servirem como base para colocar as rodinhas);
- 4 rodinhas;
- Osmocolor (caso queira pintar colorido, em vez de Osmocolor utilize tinta esmalte);
- Lixa média de mão;
- Antecupim incolor;
- Pincel;
- 16 parafusos menores para as rodas (4 para cada uma);
- 8 parafusos maiores para as prateleiras;
- Pregos sem cabeça ou grampos para madeira;
Como fazer:
- Posicione as madeiras da prateleira bem no centro interno do caixote e parafuse (com o parafuso maior) de forma que fique bem firme;
- Coloque os sarrafos embaixo do caixote, de forma que fique um de cada lado, e pregue com os pregos sem cabeça ou grampeie com os grampos próprios para madeira;
- Lixe o caixote, de forma que não fique nenhuma superfície áspera ou com farpas. Dê bastante atenção aos cantos e detalhes;
- Com o pincel, passe o antecupim em toda a peça (cuide os detalhes e cantos) e deixe secar;
- Com o pincel, passe o Osmocolor (quanto mais passar, mais escuro fica) em toda peça e deixe secar. Se não preferir o móvel pintado, em vez do Osmocolor, passe tinta esmalte;
- Parafuse as rodinhas nos sarrafos que estão embaixo da caixa, e está pronto!

Arquiteta e publicitária criam empresa que vende e aluga móveis de pallets reutilizados

Joana (esq.) e Stella são parceiras de Valter Santos Júnior, que produz as peças Joana (esq.) e Stella são parceiras de Valter Santos Júnior, que produz as peças Foto: NIÁGARA BRAGA/ESPECIAL/JC
Há três meses, a arquiteta Joana Goulart, 33 anos, e a publicitária Stella Bornemarnn inauguraram a We Pallet, que vende e aluga móveis confeccionados apenas com pallets reutilizados. Além dos móveis oferecidos no catálogo, sapateiras, mesas de centro, camas, sofás, etc., ainda há opção de projetos personalizados para ambientes. A empresa já chegou a projetar uma casa completa com móveis de pallet.
Os valores das peças variam conforme seu tamanho e tratamento. Móveis já projetados custam entre R$ 56,00 (caixote pequeno apenas com protetor de cupim) e R$ 800,00 (cama de casal com 30cm de altura, pintada). Já a locação é feita para eventos ou feiras, e o objeto é locado por 1/3 do seu preço de venda. A venda é feita apenas sob encomenda, através da página We Pallet, no Facebook.
Para as sócias, o principal objetivo do negócio é “que as pessoas possam ter ambientes legais sem gastar muito, além de contribuir com o meio ambiente”, declara Joana. A publicitária indica que o diferencial da marca é o fomento aos fornecedores locais, pois tudo é feito nos arredores de Porto Alegre. Os pallets reutilizados são fornecidos pela empresa VLS Paletes, de Cachoeirinha, que também prepara, produz e entrega os materiais – para Porto Alegre e região metropolitana. “Legal também é gerar renda para outras pessoas”, comenta Stella.
Ambas são conterrâneas de Santa Maria, porém se aproximaram em Porto Alegre, através de amizades em comum. A ideia de criar uma empresa que trabalhasse com pallets reutilizados veio do olhar atento da arquiteta, na viagem que fez à Europa ano passado, a fim de encontrar referências para um novo negócio que já planejava implantar. Quando retornou, Stella havia perdido o emprego, momento certo para apostar em uma caminhada junto à amiga. Assim, juntas começaram a projetar a empresa em junho de 2015.
O investimento inicial foi aproximadamente R$ 5 mil, o que engloba a criação da identidade visual, e principalmente, os primeiros projetos de móveis que serviram como teste. O primeiro foi um hack para a sala, que “ficou muito esquisito, escorria tinta e a madeira era errada”, explica Stella. Já no segundo, um sofá, conseguiram acertar no material, porém demorou três meses para ficar pronto, o que também não era sustentável. E assim, a dupla seguiu a busca até encontrar mão de obra e materiais ideiais.
Esta etapa de testes, apesar de exaustiva, foi essencial para a qualidade do trabalho. “Procuramos muitos materiais. A ideia era fazer com caixotes prontos de feiras, porém vimos que era é muito frágil, que precisaríamos fazer o próprio caixote. E daí levamos um tempo também para aprender a fazer”, conta Joana. Hoje, as sócias estão investindo na criação do site próprio para implantar um canal de vendas e-commerce. Pensam ainda em lançar um espaço físico para expor os produtos.
Compartilhe
Comentários ( 0 )

Publicidade
Mostre seu Negócio