Aplicativo que simula Roda da Reprodução facilita a gestão do rebanho leiteiro



Portugal (direita), da Embrapa, mostra o APP aos produtores Martins e Tomazi (centro)
CRÉDITO: Claiton Dornelles/Especial/JC
Patrícia Comunello
Nada como uma Expointer para testar a receptividade de aplicativos que ajudam na gestão das propriedades. O APP Roda de Reprodução, lançado pela Embrapa na feira em Esteio e que leva ao mundo virtual o modelo à moda antiga de monitorar o ciclo reprodutivo de vacas leiteiras, confirmou a receptividade ao cair nas mãos dos produtores que estavam expondo no pavilhão do gado leiteiro.
Durante o evento foram mais de 1,5 mil downloads do aplicativo. Por enquanto, a ferramenta funciona apenas em plataforma Android, mas deve ser ofertada para IOS (Apple) no começo de 2017, segundo o supervisor do Setor de Transferência de Tecnologia da Embrapa Pecuária Sudeste, José Alberto Bastos Portugal. 
Portugal testou pessoalmente a funcionalidade com um grupo de criadores gaúchos da raça Jersey. Munido de seu tablet, o supervisor navegou pelas aplicações e até provocou: "Sabe esse negócio de jovens ficarem caçando Pokémon? Agora eles podem caçar 'vacamon'", brincou o integrante da Embrapa, indicando que a ferramenta pode atrair a atenção dos mais novos, sejam os funcionários, técnicos ou filhos dos produtores.
A razão é simples: acaba aquela história de ficar preenchendo a roda de reprodução em papel. Todas as informações passam a ser disponibilizadas e gerenciadas na palma da mão. O supervisor da Embrapa que fica em São Carlos, interior de São Paulo, detalhou os trunfos do aplicativo, que permite gerenciar todo o rebanho. A roda se forma na tela. Os animais despontam no círculo de acordo o estágio no ciclo - cio, prenhez, lactação e período de secagem.
"Com o APP, consegue-se visualizar as vacas que são problema, por estarem em ciclos que indicam baixa eficiência, mas geram despesas à propriedade", destaca Portugal. "Era a ferramenta que eu estava procurando, como não moro na propriedade, é o melhor jeito de acompanhar de longe como está o plantel", observa Claudio Nery Martins, de Acégua.
Martins disse que já havia buscado algumas soluções, mas a maioria era em inglês e não usava a roda de reprodução. "É mais fácil que ter a planilha de papel, a gente esquece de atualizar", admite o produtor de Aceguá. Clóvis Tomazi, de Três de Maio, acredita que será bem mais fácil tomar decisão sobre o desempenho dos animais e visualizar como está cada um. Médico, Tomazi diz que não será difícil adotar, pois os funcionários já usam smartphone. "Fica mais fácil para mim que não moro na propriedade e preciso tomar decisões na hora certa."


Publicado em 04/09/2016.