Patti Leivas trabalha com convocação de presenças vips há 13 anos Pauta sobre pessoas que são contratadas pelas empresas para formação de mailing para eventos. Entrevista com Patti Leivas na foto: Patti Leivas Foto: JONATHAN HECKLER/JC

Como os profissionais que trabalham com mailings impulsionam negócios

Patti Leivas, Laura Bier Moreira e Xarão contam suas trajetórias e experiências nesse mercado

Inserir produtos ou serviços no mercado é um desafio comum a empreendedores iniciantes e experientes. Fazer com que pessoas influentes e descoladas experimentem as novidades em primeira mão (e virem clientes a partir disso) é a função de Patti Leivas, 39 anos, que, apesar de formada em Direito, trabalha com marketing desde os tempos da faculdade.
Numa era em que tudo é motivo de postagem nas redes sociais, Patti tem um mailing conectado e capaz de movimentar a imagem das marcas no universo digital (e fora dele). Para um de seus clientes, a Renner, sua missão é fazer do camarote no Planeta Atlântida o mais cheio de pessoas bonitas. E ela sabe quem são, onde estão e como convencê-las a frequentar a ocasião. Depois é só dar os likes na tempestade de fotos no Instagram.
Se hoje o boom da internet ajuda a impulsionar os eventos que organiza, por um tempo isso a prejudicou. "Teve um ano que eu quase não trabalhei. As empresas buscavam diretamente as blogueiras", lembra. Seu relacionamento com o mercado, o filtro e a busca por um mix completo de estilos de personalidades, segundo ela, formam o seu diferencial. "Faço gestão de relacionamento, uma pinçagem de quem tem que ter contato com a marca", esclarece.
Patti chegou ao posto de dona de um mailing valioso de forma natural, diz. Estudou no Colégio Anchieta, foi aluna da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) e veraneou em Imbé. A soma desses pontos gerou uma rede de amigos grande. Muitos deles, inclusive, se tornaram donos de casas noturnas.
Foi ao convencer outros amigos a irem às baladas que sua carreira começou. "Ganhava R$ 3,00 por pessoa que colocava na lista", diverte-se, lembrando que isso ocorreu numa época sem internet e celular. Ou seja, os convites eram entregues de forma física, a bordo da carona do pai. "Assim, comecei a criar meu mailing. Foi absolutamente orgânico."
Patti só desenvolve estratégias para projetos corporativos, excluindo de seu portfólio festas particulares, como casamentos, 15 anos e aniversários em geral. No currículo, estão oito anos de SBT - onde teve um quadro de agenda de eventos; participação na equipe do Dado Bier; ajuda na criação do Pepsi On Stage; organização do camarote do show do cantor Lenny Kravitz para uma empresa de telefonia (o que considera um "turning point" em sua trajetória) e a inauguração das lojas Forever 21, da Nike e da GAP em Porto Alegre. 
Os preços de contratação dos serviços de Patti Leivas, que tem um escritório na casa onde mora, no bairro Cidade Baixa, variam de acordo com a demanda do cliente. E, com uma experiência de 13 anos no mercado, afirma que "nada é caro quando dá resultado". "Ofereço um investimento aliado à potência de retorno. Não gosto de leilão", sentencia, antes de mostrar as novas contas no Instagram que identificou como potenciais presenças nos próximos eventos de seus contratantes. 

Nas duas pontas: convidada e anfitriã

Laura diz que o mercado está aprendendo o valor das redes Pauta sobre pessoas que são contratadas pelas empresas para formação de mailing para eventos. Entrevista com Patti Leivas na foto: Patti Leivas Foto: JONATHAN HECKLER/JC
Laura Bier Moreira, 27 anos, é dona da plataforma digital Roubadinhas. Com mais de 54 mil seguidores no Instagram e 60 mil likes no Facebook, está presente na maioria dos lançamentos promovidos no Estado. A novidade é que, agora, além de convidada, ela tem sido requisitada para organizar os mailings dos eventos.
O Roubadinhas é considerado um guia gastronômico e desenvolveu um aplicativo chamado Roubadinhas por Menos em sociedade com a empresária Maria Pia Albuquerque , que dá benefícios e descontos em restaurantes e pratos selecionados por Laura. Às empresas interessadas no braço de mailings, Laura envia um media kit para mostrar o poder do Roubadinhas com o público - destaque recente do programa Encontro com Fátima Bernardes, da Rede Globo.
 

Plim plim @redeglobo #check roubadinhas #snapchat #snapsave

Uma foto publicada por Fundadora do @roubadinhas (@laurabiermoreira) em

Depois disso, o diálogo pauta as estratégias. "Gosto de conversar, ver o que está faltando e dar ideias", diz ela, que é formada em Administração de Empresas com ênfase em Empreendedorismo e Sucessão pela Pucrs. A jovem conta que "sempre foi viciada em experiências".
Dependendo da verba que a empresa dispõe, Laura pensa no que a marca quer atingir. Em uma ação para um empreendimento no Litoral, por exemplo, ela tinha a missão de convocar jovens com alto poder aquisitivo. Como a sua presença já é um chamariz, seus convites são feitos de forma aberta (pelas redes sociais) ou personalizada. Um dos recursos é a lista de transmissão do WhatsApp, que envia a mesma mensagem para vários contatos de uma vez só.
O caso da influenciadora digital tem a peculiaridade de ela estar nas duas pontas: como convidada ou como anfitriã. Isso só torna sua relação com os compromissos mais profissional. "Apesar da minha agenda corrida, eu sempre tento prestigiar os eventos para os quais sou convidada. Não vejo como concorrência. Vejo como ganha-ganha. Um pode potencializar o trabalho do outro." O Roubadinhas tem assessoria jurídica, contábil e de comunicação - essa última através da empresa da irmã, Juliana, e da prima Renata, a More Comunicação.
Uma das questões emblemáticas no ramo de listas de presença é a cobrança dos serviços, por ser algo intangível até que o evento ocorra. "É um trabalho que as pessoas estão aprendendo o valor que tem", afirma a jovem, que recentemente saiu da casa dos pais para se sustentar através do negócio que começou com suas postagens de dar água na boca.

A convocação de quem faz reverberar as experiências

Xarão faz assessoria de imprensa aliada a estratégias de posicionamento dos clientes Pauta sobre pessoas que são contratadas pelas empresas para formação de mailing para eventos. Entrevista com Patti Leivas na foto: Patti Leivas Foto: JONATHAN HECKLER/JC
Os convites do assessor de imprensa Carlos Alfredo Ferraz Xarão, 30 anos, mais conhecido apenas como Xarão, são praticamente inegáveis pelos jornalistas. Nascido em Passo Fundo, diz que só escala os profissionais da mídia para atenderem aos seus eventos se entende que a pauta realmente combina com eles. Com essa técnica, conquistou credibilidade em seu trabalho, que é transmitida à imagem do cliente.
A recente inauguração da pizzaria A Pizza, por exemplo, no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre, organizada por Xarão, reuniu influenciadores de diferentes estilos. O colunista social Paulo Gasparotto, a apresentadora Cris Barth, a jornalista Fernanda Pandolfi, o publicitário Miltinho Talaveira, a digital influencer Laura Bier Moreira (a garota ali de cima) e outros administradores das contas mais curtidas no Instagram estavam lá, reunidos, para provar as novidades da casa.
O papel de Xarão poderia se limitar a enviar um texto às redações para apresentar as histórias de quem assessora, mas ele gosta de ir além.
"Aposto na questão de posicionamento do cliente, que é diferente de apenas divulgar", explica, acrescentando que a marca é "reconhecida pelo projeto completo". O envolvimento dele com os clientes é tanto que chega a ajudar, em alguns casos, a escolher o nome dos negócios, como foi na A Pizza.
Se hoje é Xarão quem convoca as pessoas que atenderão às concorridas inaugurações que despertam desejo de seus seguidores, quando jovem não tinha dinheiro para frequentar restaurantes. Aos 19 anos, decidiu morar na Capital e as coisas começaram a mudar. Para se sustentar, trabalhou como faxineiro em uma loja de materiais elétricos e dividiu um apartamento com seis pessoas. Determinado a virar jornalista, depois de seis meses, conseguiu um emprego num cursinho pré-vestibular.
A partir daí, muitas histórias e trabalhos compuseram sua carreira. Entre eles, passagens pela assessoria de imprensa da Usina do Gasômetro, Pauta Assessoria, jornal O Sul, Secretaria de Cultura do Estado, Companhia de Processamento de Dados de Porto Alegre (Procempa) e alguns meses de desemprego após a formatura.
A bagagem, hoje, lhe ajuda a circular entre as várias classes sociais e o credencia para ser sincero com alguns empresários que o procuram quando ainda não estão preparados para os olhares de seu mailing ou para um trabalho de comunicação como o seu.

Juntos

Os três entrevistados da reportagem dizem que podem trabalhar em conjunto, pois cada um é focado em uma área diferente. Patti Leivas faz o relacionamento, Xarão, a assessoria de imprensa e Laura tem a internet como sua aliada, além da curadoria dos comes e bebes.   
Compartilhe
Comentários ( 0 )

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio