Entrevista com empreendedores que apostaram em abrir negócios no litoral  Entrevista com empreendedores que apostaram em abrir negócios no litoral Foto: JONATHAN HECKLER/JC

Empreendedores respondem: valeu a pena abrir negócios na praia neste verão?

O GeraçãoE iniciou, no dia 24 de dezembro de 2015, uma série de reportagens com empreendedores que apostaram em regiões litorâneas na temporada de verão. Nos últimos três meses, contamos as histórias de 16 empreendimentos do Litoral Norte do Rio Grande do Sul e do litoral de Santa Catarina. No fim de fevereiro, reunimos sete empreendedores por trás de alguns desses negócios em Capão da Canoa, no Butiquim Café do Marcelo - também um deles -, para que avaliassem se os investimentos valeram a pena. Confira:

Big Duck's

Marcelo Mendonça, 27 anos, e Vinicius Guedes, 33
A ideia do Big Duck's, cujo principal produto é o cachorro-quente, era usar a operação da praia para se mostrar ao público de outras regiões de Porto Alegre, onde a empresa funciona permanentemente no bairro Tristeza, na Zona Sul. Para a dupla, o negócio sazonal, que recebeu investimento de R$ 50 mil para uma loja na avenida Central de Atlântida, valeu a pena. Compras de sistemas, por exemplo, não precisarão ser feitas no ano que vem. A operação se pagou, e agora só abre no próximo verão. "Estamos querendo virar franquia, então nosso foco não é tanto números agora, mas em padronizar os processos", explica Guedes. Surgiram, inclusive, interessados de São Paulo para conhecer a operação e transformá-la em franquia. "Essa loja na praia nos trouxe uma nova visibilidade", diz Mendonça. Para eles, os dias de maior movimento foram o feriado da virada de ano e os dias 29 e 30 de janeiro, quando ocorreu o Planeta Atlântida.

Benja Bulldger

Gabriela Werba, 30 anos, Joaquin Vivar, 27, e Benja, o cachorro
Gabriela e o namorado argentino, Joaquin Vivar, iniciaram uma food bike de hambúrgueres em Torres, com temática canina, a Benja Bulldger. Sair de Porto Alegre, segundo Gabriela, "foi a melhor decisão". Na Capital, ela era sócia do bar Petit Dalí, no bairro Bom Fim. "Nossa meta inicial era vender 60 unidades por dia. Nosso recorde foi 120", conta ela. No total, foram mais de 3 mil unidades comercializadas na temporada. O investimento chegou a R$ 15 mil na bike, que continuará circulando em eventos do balneário durante o ano. A dupla conta que ganhou o alvará por insistência e determinação no negócio. No início, achavam que o movimento seria apenas no almoço, mas perceberam que, na praia, com menos preocupações de horário, "as pessoas passam o dia inteiro comendo".

Team Nogueira

Tiago Ribeiro, 29 anos
Único dos empreendedores entrevistados a apostar em uma franquia, Tiago Ribeiro abriu em Capão da Canoa, junto a um sócio, a academia Team Nogueira. Com investimento de R$ 500 mil, em seis meses alcançou a projeção que pensava conquistar dentro de sete anos se tivesse insistido em uma marca própria. Ele afirma que, sem dúvidas, isso se deve ao fato de estar em uma franquia já reconhecida no mercado, o que facilita em termos de viabilidade de apoios e parcerias comerciais. A expectativa era que chegasse ao número de 300 alunos no primeiro ano. Ribeiro bateu essa meta antes de três meses. Hoje, são quase 500 alunos, boa parte locais. "Até o final do ano vamos alcançar 600 matriculados", prevê.

Butiquim Café do Marcelo

Aline Nogueira, 42 anos, e Marcelo Costa dos Santos, 44
"Pretendemos não voltar mais volta a Porto Alegre", diz Aline, que toca o Butiquim Café do Marcelo ao lado do marido, Marcelo, e da sogra, Nelci. O local, que fica aberto o ano todo com cafés e cervejas artesanais em Capão da Canoa, recebeu um investimento de R$ 70 mil. Santos conta que 80% desse montante já foi recuperado só na temporada. Os empreendedores querem, inclusive, expandir os negócios, com uma operação de churrasquinhos gourmet. Entre as lições aprendidas neste primeiro verão, estão as falhas na previsão de compras. O movimento na virada de ano foi superior ao esperado, e faltou café. "A gente era virgem em relação ao veraneio", revela Aline. Marcelo reafirma: "Não tínhamos ideia do abastecimento. E aprendemos que a relação com fornecedores é de necessidade mútua", emenda. Para o Carnaval, as contas foram acertadas.

Não leu as matérias?

Não tem problema. A seguir, o GeraçãoE lista todas as reportagens escritas nessa última temporada.
Compartilhe
Comentários ( 0 )

Publicidade
Mostre seu Negócio