Porto Alegre, sexta-feira, 15 de abril de 2016. Atualizado às 17h09.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
34°C
32°C
24°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5170 3,5190 1,23%
Turismo/SP 3,4700 3,6600 1,38%
Paralelo/SP 3,4700 3,6600 1,38%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Televisão Notícia da edição impressa de 19/02/2016. Alterada em 15/04 às 17h09min

Vinyl estreia na HBO

HBO/DIVULGAÇÃO/JC
Bobby Cannavale lidera elenco de Vinyl, nova série da HBO

A julgar pelo primeiro episódio, Vinyl promete. A série da HBO que teve estreia mundial domingo passado traz o DNA de seus criadores e produtores, Martin Scorsese e Mick Jagger, não economizou em polêmicas.
De Scorsese, que também dirige o primeiro episódio (duplo, com duas horas), a série tem elementos caros ao cineasta: Nova Iorque, década de 1970, imigrantes italianos, sexo, drogas, violência, mafiosos e discussões sobre honra, família e amizade. De Jagger, tem literalmente o DNA: James Jagger, 30 anos, filho do Rolling Stone com a ex-modelo Jerry Hall, interpreta um dos personagens principais, o roqueiro Kip Stevens.
Mick Jagger é o mentor do projeto e sua assinatura nos roteiros é uma chancela para que o espectador acredite que o ambiente nas grandes gravadoras em 1973 era realmente como a série exibe. Em 2007, quando trabalhavam em Shine a light, documentário de Scorsese sobre um show dos Stones, Jagger disse ao diretor que gostaria de produzir um filme que mostrasse a indústria fonográfica com a pegada de seu longa Cassino (1995).
Depois de produzir e lançar a série Boardwalk Empire, em 2010, Scorsese pensou em tocar o projeto de Jagger também como seriado de TV. Bobby Cannavale, que foi um dos vilões de Boardwalk Empire, se revela em Vinyl um ótimo condutor para a trama. Ele é Richie Finestra, dono da gravadora American Century. Depois de sucesso milionário nos anos anteriores, a empresa está quase falindo após errar muito nas contratações de novos artistas. As esperanças de sair do buraco e ainda levar uma bolada estão concentradas em duas apostas: acertar a vinda do Led Zeppelin para o elenco da gravadora e vendê-la ao grupo alemão Polygram.
Finestra tentar costurar essa estratégia enquanto lida com a incompetência de seus funcionários, a tristeza de sua mulher que cuida sozinha de seus dois filhos pequenos, subornos às rádios, festas de sexo e bebedeiras e descidas ao submundo atrás de cocaína. Mas o que mais angustia Finestra é não lançar há tempos um artista no qual realmente acredite.
A paixão dele pelo blues e pelo rock and roll é legítima, e Cannavale constrói muito bem esse personagem movido por amor à música. O episódio piloto já dá indícios das investidas futuras de Finestra, quando assiste chapado de cocaína a um show dos iniciantes New York Dolls - banda nortea-mericana essencial para a formação do punk - e ao travar contato com a incipiente cena hip hop. Vinyl, claro, torna-se mais interessante para quem acompanhou a música dos anos 1970, mas tem qualidades para entreter gerações mais novas. Além de reconstituição de época primorosa, que reproduziu no primeiro episódio gente real famosa como Robert Plant e John Bonham, do Led Zeppelin, tem as explosões de violência que marcam os dramas pesados de Scorsese.
A mulher de Finestra, uma ex-atriz e modelo protegida de Andy Warhol, é interpretada por Olivia Wilde, médica na série House. Um dos sócios da gravadora, irreconhecível de cabelo comprido e barba, é Ray Romano, de Everybody loves Raymond. James Jagger se sai bem, assim como mais um nome de pedigree no elenco, a loirinha Juno Temple, filha do cineasta inglês Julien Temple, conhecido por seus filmes ligados ao universo do rock. Entre boas atuações, tensão crescente, violência e trilha sonora da pesada escolhida por Jagger, Vinyl promete. Novo episódio às 0h03min desta segunda-feira, com reprises às quartas-feiras, às 20h, na HBO.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
José Padilha fará série baseada na Lava Jato para Netflix Wagner Moura e José Padilha estão na disputa pelo Globo de Ouro Brasileiras 'Império' e 'Doce de Mãe' são premiadas no Emmy Internacional
Atrações foram premiadas na 43º edição do Emmy Internacional, em cerimônia realizada em Nova Iorque

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo