Apesar de tentador, crédito bancário deve ser usado com parcimônia Dinheiro, cédula, moeda, real, grana, economia, carteira, poupança, salário Foto: JOÃO MATTOS/JC

Onde conseguir crédito para abrir seu negócio

Em época de recessão, a falta de capital é um obstáculo a ser vencido por quem sonha em montar um negócio próprio. Se você não tem dinheiro guardado, bens para se desfazer ou não quer bater à porta de amigos e parentes - três métodos para levantar recursos -, a solução pode estar junto a bancos e investidores. confira algumas opções

1 Bndes >> No começo do ano, o Banco Nacional de Desenvolvimento estudava financiar o capital de giro de pequenas e microempresas. A proposta é que esses empréstimos sejam corrigidos pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que é de 7% ao ano bem menor do que a taxa média de juro de capital de giro, que chegou a 25,7% em novembro e tenham o aval de um fundo de R$ 600 milhões mantido pelo Sebrae. Essa reserva de segurança poderia garantir até R$ 7,2 bilhões de crédito.
2 BB >> O Banco do Brasil reabriu a linha de crédito para micro e pequenas empresas que precisam financiar o pagamento de tributos. O prazo de contrato vai até o fim de março, podendo também ser usado para financiar oportunidades de negócios e compra de matérias-primas. O financiamento tem 24 parcelas, e a primeira prestação só é paga após três meses. Quem estiver em dia com as parcelas tem 10% do valor pago devolvido no dia seguinte à amortização. A linha tem juros equivalentes à Taxa Referencial (TR), mais 2,51% ao mês. Para as empresas que têm o desconto de 10%, a taxa cai para TR mais 2,26% ao mês.
3 Caixa >> A Caixa Econômica possui um portfólio diversificado para empreendedores. São produtos financeiros para franquias, empresas formais e informais, como capital de giro, investimento fixo, antecipação de receitas, convênios, seguro e previdência. Para utilizar o crédito, o concorrente precisa ter o plano de negócios aprovado pelo banco.
4 Microcrédito RS >> Para investimento e capital de giro para atividades de pequeno porte (faturamento máximo de R$ 120 mil/ano), o Programa Gaúcho do Microcrédito também é outra opção. O financiamento é progressivo, podendo ir de R$ 6 mil a R$ 15 mil, com taxa de 0,64% ao mês e parcelamento de até 24 vezes. O contrato é feito junto às prefeituras. São quase 500 cidades do Estado conveniadas. Para a agricultura familiar, o valor é esticado - pode chegar a R$ 60 mil. Criado em 2011, o programa funciona por meio de parcerias com instituições financeiras, agentes de intermediação (AGIs) e instituições de microcrédito (IMs).

Fique atento!

O empréstimo bancário deve ser usado com parcimônia. "Precisa planejamento, gestão e, principalmente, cuidado para não misturar as finanças pessoais com as da empresa", diz Viviane Ferran, gerente de atendimento individual do Sebrae-RS. Lembre-se que as linhas de crédito cobram taxas de juros e que, se mal administrado, podem comprometer o sucesso do negócio.
Compartilhe
Comentários ( 6 )
  1. Divino nanque

    Preciso de finaciamento para fazer uma empresa de pesca que tem muito lucro no meu país só que não tenho possibilidade

  2. Weslaine de jesus machado

    Presiso de um emprestimo urgente

  3. Elilde da Silva Almeida

    Tenho muito interesse

  4. Raquel Mazzui

    Boa tarde.Gostaria de abrir um negocio como faco para entrar em contato obrigado.

  5. YANA MAMEDE

    Ol queria saber como consigo emprstimo para abrir uma loja de artigos para bebe

  6. Daniela Cardoso de Queiroz

    Bom. Dia quero abrir um negócio e quero saber o que preciso para colocar minha ideia em prática como conseguir um empréstimo para começar obrigada

Publicidade
Mostre seu Negócio