Porto Alegre, domingo, 13 de dezembro de 2015. Atualizado às 21h38.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
27°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8700 3,8720 1,92%
Turismo/SP 3,6500 4,0500 1,75%
Paralelo/SP 3,6500 4,0500 1,75%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

LITERATURA Notícia da edição impressa de 14/12/2015. Alterada em 13/12 às 22h38min

Rodrigo Rosp lança novo romance

MARCELO G. RIBEIRO/JC
Rodrigo Rosp autografa amanhã Inverossímil, seu novo romance

Ricardo Gruner

Admirador de autores que gostam de observar os absurdos do mundo e fazer graça disso, Rodrigo Rosp lança amanhã o romance Inverossímil (128 págs., 35,00). O livro tem publicação pela Não Editora e ganha sessão de autógrafos na Palavraria (Vasco da Gama, 165), a partir das 19h30min.
A obra reapresenta o personagem Caio, um escritor com insegurança e humor depreciativo a la Woody Allen - e que já apareceu em Fingidores - comédia em nove cenas, livro com o qual Rosp foi semifinalista do Prêmio Portugal Telecom. Em um ambiente repleto de fantasias sexuais e flertes via redes sociais, o protagonista contracena com a esposa, alunas e colegas.
A partir desse cenário, o autor levanta questões sobre a necessidade da técnica em narrativas literárias e a respeito das versões de si mesmas que as pessoas representam em perfis online, por exemplo. Rosp conversou com o Jornal do Comércio sobre estes e outros temas.
JC - Panorama - O livro surgiu durante seu mestrado. Como foi o processo?
Rodrigo Rosp - No mestrado em Escrita Criativa da Pucrs, fazemos uma obra de criação ficcional e um pequeno ensaio sobre o tema. Fui escrevendo ao longo do segundo ano de curso. Defendi com banca - é até engraçado uma banca de mestrado para um livro de ficção, mas é uma cultura que está se tentando implementar no Brasil. Já fiz oficinas durante um tempão, e é diferente construir uma obra no meio acadêmico. Tanto que ela veio permeada de certos questionamentos sobre questões teóricas (como a própria técnica).
Panorama - O personagem já apareceu no seu livro anterior. Por que voltar a ele?
Rosp - Aconteceu ao natural, mas não gosto muito dessa coisa metafísica de dizer que o personagem tem voz própria. Escrevi e vi que estava muito próximo da voz daquele personagem. Então entre criar um quase igual ao que já tinha feito e retomá-lo, senti que fazia mais sentido retomar - com uma série de modificações. Fiz várias mudanças de forma, apresentei um ambiente em que ele é o autor de uma obra dentro de uma obra...
Panorama - Esse jogo entre forma e conteúdo é algo que veio do mestrado ou já lhe interessava enquanto autor?
Rosp - Sempre me interessou, principalmente pelo seguinte: comecei trabalhando como revisor. Até hoje reviso quase todas as obras da editora. A questão da técnica do texto me interessa muito e foi o que estudei no mestrado. Uma coisa que sempre me instigou é que, às vezes, há grandes autores que têm dificuldades em coisas técnicas. Sempre cito o caso de um baita autor que não sabe usar crase. E levanto esse questionamento de até onde o autor precisa saber construir uma frase (mas, ao mesmo tempo, é mais ou menos como o piloto não entender a mecânica do carro). É esse questionamento que trago, sobre a necessidade da técnica como intermédio da comunicação (entre texto e leitor).
Panorama - Fingir continua como ação importante nesse romance.
Rosp - Tem uma conexão enorme que vai até a noção do título. Achei legal porque a questão de verossimilhança é muito usada no meio literário. Mas o sentido de dicionário dela é fascinante e abre espaço para questionar uma série de coisas. Para o dicionário, inverossímil é "o que não é ou não parece ser verdade". Só que tem um abismo entre o que não é verdade e o que não parece ser. E há também uma coisa fascinante da mentira dentro da própria verdade. Busquei trabalhar muito com isso dos bate-papos do celular, o Facebook. Observo que na verdade todo mundo é meio personagem ali, não existe "verdadeiro eu". Existem personagens que todo mundo cria. Foquei nos jogos de sedução, no flerte, quando acontece isso mais ainda. Esses bate-papos são uma criação ficcional.
Panorama - E em que medidas a busca por verossimilhança afeta o teu trabalho?
Rosp - Nesse livro, de alguma forma, abro mão dela... Acontece um monte de coisa inverossímil. Mas se isso é inverossímil em um ambiente em que a inverossimilhança é aceita, então é verossímil. Não é a verdade do mundo real, é a verdade do texto. Quem diz o que pode e não pode acontecer? Nunca trabalhei tão livre, justamente por não me ver tão preocupado e poder fazer um texto cheio de erros.
Panorama - E o fato de você também ser editor (da própria Não Editora e também da Dublinense) interfere de alguma maneira na tua criação?
Rosp - Não. Até porque meu processo é o mesmo desde sempre - escrevo há muito mais tempo do que comecei a publicar. Me sinto um escritor que edita, não um editor que escreve.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Salman Rushdie condena repressão do 'politicamente correto' na Feira de Frankfurt Bielorussa Svetlana Alexievich ganha o Prêmio Nobel de Literatura
Svetlana, que também é jornalista, tem 67 anos e é a 14ª mulher a ser premiada com o Nobel de Literatura desde a criação, em 1901
Dilan Camargo é escolhido patrono da 61° Feira do Livro de Porto Alegre Jayme Caetano Braun: do pampa para os livros

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo